Muricy avisa: é hora do São Paulo ganhar do Inter

?Já perdemos muito. Agora é hora de ganhar deles?, diz Muricy sobre o amargo retrospecto do São Paulo contra o Inter, adversário na final da Copa Libertadores da América, nas últimas cinco partidas: empatou uma e perdeu as outras quatro.O treinador lembra do Chivas para se mostrar animado em relação à quebra desse tabu. ?Eles ganharam as duas primeiras e conseguimos corrigir os nossos erros. Aí, ganhamos as duas e estamos classificados. Vamos tentar repetir com o Inter nessa final.?E Muricy deve saber muito bem o que havia de errado no São Paulo que perdeu tanto para o Inter. Ele mesmo era o técnico do time gaúcho em quatro dessas partidas - três vitórias e um empate.Ele prefere minimizar sua importância na superioridade mostrada pelo Inter. ?Em alguns desses jogos, o São Paulo atuou com o time reserva. Não dá para levar muito em conta. É lógico que eu via alguns erros e que tentei melhorar quando cheguei aqui. Agora, estamos prontos para essa decisão. Vai ser muito dura, tenho certeza.?O que Muricy não gosta é de pessoas dizendo que este é um jogo entre criador e criatura. Entre ele e o Inter, time que formou nos três anos que passou em Porto Alegre. ?Todo o mérito é do Abel, que levou o time para esta final. Eu sei que fiz um bom trabalho por lá, mas o mérito agora é dele.?O mérito é de Abel, mas Muricy não esconde o orgulho que tem pela situação que vai viver a partir de quarta-feira. ?Eu levei o Inter para a Libertadores e eu levei o São Paulo para esta final. Isso prova que eu trabalhei bem lá e que estou trabalhando bem aqui. Me dá uma felicidade muito grande chegar em uma situação como essa. Não nego.?A identificação de Muricy com a torcida do Inter é muito grande. Muitas vezes ele chorou ao ouvir seu nome gritado em uníssono no Beira-Rio. Mesmo assim, não se sente constrangido em lutar contra o atual grande sonho da torcida: ganhar a Libertadores e fugir da pecha de ?time caseiro? imputada pelos gremistas, campeões da Libertadores, em 1983 e 1995. ?Futebol é assim mesmo. Quando estava lá, recusei convites para sair ganhando mais e cumpri meus contratos. Agora, tenho de fazer o melhor pelo São Paulo. Se formos campeões lá, tudo bem.?Muricy comemora o fato de, na final, o gol fora de casa não valer mais do que os outros. ?Se sofrêssemos um gol contra o Estudiantes, tudo ia ficar mais complicado. Agora não tem isso, fica mais fácil decidir os jogos.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.