Muricy cobra contratação de reforços para o Santos

A paciência de Muricy Ramalho com a espera de reforços está chegando ao limite. O treinador está irritado depois do terceiro jogo seguido do time sem fazer gol, e até poderá rever a sua decisão de renovar o contrato com o Santos por mais um ano e meio se Rafael Moura não vier do Fluminense.

SANCHES FILHO, Agência Estado

24 de julho de 2012 | 20h07

Em razão da perda de Alan Kardec, Borges e Rentería, o treinador pediu à diretoria a contratação de três atacantes para melhorar a campanha no Campeonato Brasileiro, mas até esta terça-feira tinha sido atendido parcialmente. Bill foi o único atacante de área que ele recebeu e mesmo assim a sua escalação para enfrentar o Atlético-MG, nesta quinta à noite, em Belo Horizonte, depende do aparecimento do seu nome no BID (boletim diário de registro de jogadores da CBF) até as 18h desta quarta.

Sem a certeza de ter Bill e do argentino Patrício Juan Rodríguez, cujo nome também não apareceu no BID contra o líder do Campeonato Brasileiro, Muricy nem deu o treinamento tático-técnico para armar a equipe nesta terça. Se a situação de Bill e Patito não forem regularizadas, ele terá de manter o time dos últimos jogos, com Dimba e Miralles na frente. A única mudança será a entrada de David Braz ou Ewerton Páscoa no lugar de Durval, que recebeu o terceiro cartão amarelo diante do Vasco, sábado.

Na semana passada, Muricy chegou a elogiar o esforço da diretoria porque ainda se falava na contratação de Robinho, Malouda e Diego. Mas até agora, além de Miralles, que não é atacante de área e que foi trocado por Elano, Muricy recebeu apenas reforços de pouca repercussão, como João Pedro (meia) e Bruno Peres (lateral-direito).

O projeto do treinador era começar a recuperação no Brasileiro imediatamente à desclassificação na Libertadores, mas como não recebeu as peças de reposição, a situação da equipe na competição só se agravou. E o time corre o risco de disputar até mais cinco jogos sem Neymar caso o Brasil se classifique para disputar medalha no futebol da Olimpíada.

Muricy faz questão de contratação de Rafael Moura porque se trata de jogador de sua confiança. Tanto que ele se encarregou de convencer o atacante a não aceitar a proposta do Internacional e optar pelo Santos. O que trava a negociação é que o Fluminense se nega a emprestar He-Man gratuitamente e só avisou que o atacante só sai das Laranjeiras com a venda de pelo menos 25% dos seus direitos econômicos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.