Muricy diz que elenco são-paulino já esqueceu a goleada

Técnico explica que jogadores estão com a mente focada no Sportivo Luqueño, adversário da Libertadores

Giuliano Villa Nova, O Estado de S. Paulo

18 de março de 2008 | 21h15

Começar a semana tendo de administrar uma goleada sofrida num clássico não é nada confortável. Mas o técnico Muricy Ramalho jura que o elenco do São Paulo assimilou bem a derrota por 4 a 1 para o Palmeiras, no último domingo. E, mais importante, promete que o tropeço no Campeonato Paulista não afetará o desempenho diante do Sportivo Luqueño, quinta-feira, no Paraguai, pela Libertadores. Veja também: FPF proíbe Mancha e Independente de ir a jogos no Paulistão Kléber: 'Nem sabia que o André Dias estava na minha marcação' "Temos de nos concentrar apenas no próximo adversário, passar para o elenco informações de como nosso próximo rival joga", resumiu Muricy. "São competições totalmente diferentes. Se ficarmos pensando muito no que já foi, seja uma vitória ou uma derrota, o jogador esquece o que tem de fazer em campo", prosseguiu o treinador são-paulino. Em parte Muricy tem razão, afinal o desequilíbrio emocional demonstrado pelo time nos minutos finais do jogo contra o Palmeiras serve de lição para o confronto no Paraguai, onde se espera muita pressão sobre os brasileiros. "O campo é apertado e o time deles, muito alto e bem armado", comentou. O que anima o treinador para o duelo na Libertadores é saber que terá mais opções para montar sua equipe - o zagueiro Miranda e o atacante Dagoberto, que estavam suspensos contra o Palmeiras, terão condições de jogo, além do lateral-direito Éder e do meia Éder Luís, inscritos na competição continental, mas não no Paulista. Até o zagueiro André Dias, que levou sete pontos no rosto na cotovelada do palmeirense Kléber, tem presença confirmada - apesar de ter sido preservado do treinamento desta terça-feira. O único desfalque será o volante Fábio Santos, que ainda não se recuperou de lesão muscular. Muricy tentou se mostrar otimista. "Eu confio muito neste time na segunda fase da Libertadores", disse. "Vai dar liga, acredito muito neste grupo. Vamos brigar pelo título". A partir do mata-mata, o treinador acredita que o São Paulo estará, enfim, no estágio que ele deseja. "Vamos ganhar mais opções, o time vai ficar mais forte até do que o do ano passado", promete. "Podemos conseguir uma seqüência igual àquela [de 2007], quando ficamos 17 jogos sem perder e nos aproximamos do título brasileiro." As opções vão vir do próprio elenco. O lateral-direito Jancarlos, contratado após deixar o Atlético Paranaense depois de conseguir sua liberação na Justiça do Trabalho, será inscrito nas oitavas, além do zagueiro Alex Silva, que está se recuperando de uma lesão no joelho. EXPECTATIVADe todos os jogadores do elenco, quem está mais ansioso para enfrentar o Sportivo Luqueño é Éder Luís, que tem vaga de titular garantida. "Minha situação é difícil, porque fiquei duas semanas [desde o jogo contra o Audax Italiano, no dia 5] só treinando fisicamente. É muito ruim ficar de fora, sem poder ajudar", comentou o atacante. "Também assisti aos jogos do time, procurando ver como me encaixar no esquema tático." O elenco viajou na noite desta terça-feira para o Paraguai e treina nesta quarta à tarde no Estádio Feliciano Cáceres, em Luque, local do jogo de quinta-feira. Com 4 pontos em dois jogos no Grupo 7 - empate com o Nacional de Medellín e vitória sobre o Audax Italiano -, o São Paulo ficará perto da classificação para a segunda fase em caso de vitória.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.