Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE

Muricy diz que trocou broncas por abraços no Palmeiras

'É hora de ser parceiro e mostrar que os jogadores podem mudar essa fase', afirma o treinador

JULIANO COSTA, Agencia Estado

28 de outubro de 2009 | 22h23

O período de três dias de treinos e concentração num hotel em Atibaia, a 60 quilômetros de São Paulo, serviu para Muricy Ramalho colocar seus jogadores no divã e tentar devolver a eles a confiança de um time que lidera o Brasileirão há três meses.    

 

Veja também:

tabela SIMULADOR - Veja quem pode ser o campeão

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabelaClassificação

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Não houve broncas. Só palavras de conforto. "Não pode cobrar muito numa hora como essa. Tem que abraçar o jogador. Ele já está com toda a carga negativa das derrotas. Se ficar em cima pode piorar. É hora de ser parceiro e mostrar que podem mudar essa fase. Não precisa vir aqui e bater mais neles", disse o treinador.

A ideia de tirar o time de São Paulo foi dele, mas a decisão por Atibaia foi da diretoria. Para Muricy, a preparação fora da capital ajuda a reduzir a expectativa dos jogadores para o restante do Brasileiro.

"A gente tenta fazer com que essa expectativa exagerada não chegue aqui, mas às vezes os jogadores ficam ansiosos porque também querem muito entrar para a história do clube. Mas esse tipo de coisa não resolve. Precisa ter tranquilidade dentro de campo para buscar os resultados", pregou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.