Muricy enfrenta desfalques para escalar São Paulo

Atacante Dabogerto está fora do jogo com o Cruzeiro por causa de uma muscular na coxa esquerda

Martín Fernandez, do Estadão,

20 de julho de 2007 | 18h31

O São Paulo enfrenta uma série de problemas para enfrentar o Cruzeiro, no domingo, no Mineirão. O time do Morumbi, dono do pior ataque e da melhor defesa do Campeonato Brasileiro, terá quatro desfalques.O atacante Dagoberto, com uma lesão muscular na coxa esquerda, nem treinou na sexta-feira e ficará de fora. Na última partida, contra o Fluminense, o atleta deixou o campo no segundo tempo reclamando de dores no tornozelo direito, mas a contusão já foi tratada. "Não é grave, mas também não podemos abusar do jogador", disse o técnico Muricy Ramalho. O ataque são-paulino, que marcou nove gols em 12 jogos na competição, será formado por Diego Tardelli e Borges.No banco de reservas, a única opção será Leandro. Aloísio está contundido, Marcel acertou sua ida para o Grêmio e Lenílson também está de saída: vai para o Jaguares, do México. O volante Josué, que tomou o terceiro cartão amarelo contra o Fluminense, terá de cumprir suspensão automática. Com a ausência do camisa 8, Muricy volta a escalar Richarlyson ao lado de Hernanes como volantes.A dupla atuou nos seis jogos em que Josué esteve com a seleção brasileira, na Copa América. O São Paulo venceu três e empatou outras três dessas partidas. O time de Muricy vem de três jogos sem vencer, todos no Morumbi: empates com Flamengo e Corinthians, além de derrota para o Fluminense. "Está faltando um pouco mais de criação", comentou Hernanes. "Não adianta ficar só explicando os motivos [de o clube não estar jogando bem]. Torcedor não quer ouvir explicação, quer que o time vença. Falar e não fazer não adianta nada, é igual nuvem que não traz chuva", filosofou.Muricy Ramalho admitiu que "esperava mais" do time, mas não admitiu estar decepcionado. Culpou a retranca dos adversários para justificar a falta de gols do seu time. "Todo mundo só pensa em não perder", reclamou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.