Ricardo Saibun/Divulgação
Ricardo Saibun/Divulgação

Muricy exalta 'gênio' Neymar, mas critica suspensão

Técnico lamentou terceiro cartão amarelo do atacante, que ficará de fora do jogo contra a Portuguesa

AE, Agência Estado

17 de setembro de 2012 | 13h09

CURITIBA - Depois de ver Neymar fazer dois gols na vitória por 2 a 1 sobre o Coritiba, sendo o primeiro deles uma pintura na qual o atacante enfileirou rivais e ainda driblou o goleiro do Coritiba antes de tocar para as redes, Muricy Ramalho voltou a exaltar o grande craque da sua equipe. O treinador, porém, deixou o Estádio Couto Pereira, no último domingo, lamentando o fato de que o atleta tomou o terceiro cartão amarelo e não poderá enfrentar a Portuguesa, no próximo sábado, no Pacaembu, pela 26.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O comandante santista não escondeu a decepção com o árbitro do duelo após Neymar ser punido com o cartão por causa da comemoração irreverente que fez depois de marcar o seu segundo gol. Naquele momento, o atleta apenas abriu os espaços e colocou a mão em um dos ouvidos como que pedindo pela repetição das vaias que vinha recebendo dos torcedores do time paranaense, e o cartão acabou sendo um exagero por parte do juiz catarinense Roman Marques da Rosa.

"Estamos jogando na base da superação, na base da vontade que a gente demonstrou hoje (domingo) e na base de um gênio que a gente tem, que é o Neymar, mas acho que pegam demais no pé de dele, ele está tomando muita porrada e o juiz deixa correr. Inventaram esse negócio de que ele é ''cai-cai'' e agora tudo que é falta os caras chiam para tirar o jogador de campo", afirmou Muricy, para em seguida criticar a decisão do árbitro de punir o atleta com o cartão amarelo.

"O grande jogador que traz público ao estádio hoje é o Neymar, então por isso que a gente não concorda com esse amarelo que ele tomou porque é uma punição que ele recebeu, por ter feito dois gols e ter driblado para a torcida. É uma coisa chata, muito chata, futebol brasileiro não está legal de se ver. O Santos faz um esforço enorme para manter o jogador e toda hora ele é vaiado, como foi na seleção brasileira outro dia, e agora não vai jogar por causa de um cartão desse. Então o negócio está meio chato mesmo", desabafou.

Já ao projetar o duelo diante da Portuguesa, Muricy ao menos comemorou o fato de que o Santos terá um bom tempo de preparação para o duelo, no qual Neymar desta vez não poderá ajudar o time santista. "A única vantagem que eu vejo é que teremos uma semana para treinar, teremos um pouco tempo de posicionar ao menos a defesa, o meio-campo, é um setor que a gente sofre muito, pois a gente não tem homem de ligação. O grande jogador que a gente tem, que é o Ganso, está machucado e ainda vai ficar um bom tempo sem jogar", lembrou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.