Clayton de SouzaEstadão
Clayton de SouzaEstadão

Muricy não descarta escalar Jadson e Ganso juntos

No entanto, técnico fez ressalva ao primeiro: para voltar ao time, terá de se esforçar mais

Fernando Faro, Agência Estado

17 de janeiro de 2014 | 17h49

SÃO PAULO - Apesar de ter definido o esquema para o jogo com o Bragantino com apenas Paulo Henrique Ganso como meia de criação, o técnico Muricy Ramalho diz que aceita trocar o sistema tático no futuro para encaixar o também meia Jadson no time do São Paulo. No entanto, ele faz um alerta a Jadson: para voltar a ter oportunidades, ele precisará se esforçar mais e demonstrar mais vontade do que fez até aqui.

Jadson perdeu espaço no Morumbi depois da chegada de Muricy, em setembro. Titular com o antecessor Paulo Autuori, ele viu sua participação diminuir sob a nova direção. Muricy conseguiu estancar a sangria no Campeonato Brasileiro justamente quando optou por uma formação mais fechada e apostou em Ganso, que subiu de produção e cavou seu lugar entre os titulares.

Agora, Muricy resolveu repetir o esquema neste início de temporada. Assim, Ganso tem a companhia de Maicon e Wellington no setor, enquanto Jadson sequer foi testado entre os titulares durante os treinos da semana.

"Todo bom jogador pode jogar junto, desde que o jogador seja bom e queira jogar. Depende dos jogadores quererem, mas é preciso lembrar que no ano passado acertamos a equipe quando mudamos a forma de jogar, com só um cara de ligação. Não tem fórmula para montar o time, é preciso só que o jogador queira", alfinetou o treinador.

Enquanto espera uma oportunidade, Jadson tenta comprovar nos treinos que merece ser lembrado pelo treinador. Foi dele o gol da vitória sobre a seleção dos Estados Unidos no jogo-treino realizado na última quinta-feira no CT da Barra Funda. Por enquanto, porém, o chefe ainda não parece plenamente satisfeito.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCMuricy

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.