Toru Hanai/Reuters
Toru Hanai/Reuters

Muricy nega surpresa, defende escalação do Santos e elogia Barcelona

'Barça mostra que é possível jogar bem e fazer gols sem nenhum atacante', disse o técnico

AE, Agência Estado

18 de dezembro de 2011 | 13h02

O técnico Muricy Ramalho negou neste domingo, 18, que tenha sido surpreendido pelo estilo de jogo do Barcelona, que dominou completamente a final do Mundial de Clubes, disputada em Yokohama, no Japão, e venceu por 4 a 0. Para o treinador, a qualidade dos jogadores do time catalão fizeram a diferença na partida.

"Acho que a gente já conhecia essa qualidade do Barcelona. O sistema deles no Brasil, se fosse usado, seria um absurdo, um 3-7-0. Perderam Sánchez e Villa e optaram por um meia. No Brasil, isso é caso de policia. O Barcelona mostra que é possível jogar bem e fazer gols sem nenhum atacante. Quem sabe agora a gente não comece a aceitar isso no Brasil".

 

Muricy mudou a escalação do Santos para a final, ao apostar em uma esquema tático com três zagueiros, além de ter promovido o retorno do lateral-esquerdo Léo. Para ele, o estilo do Santos foi mantido para o duelo com o Barcelona. Defendendo a formação utilizada, o treinador disse que se recusou a mudar a essência do time com a escalação de mais volantes.

 

Para o técnico do Santos, é muito difícil marcar o Barcelona e impedir que o time espanhol tenha o controle do jogo. "Esse domínio, essa posse de bola é difícil de parar. Poderia colocar mais gente no meio-de-campo, mas não era o caso. Respeitamos o nosso estilo, com um meia de ligação e dois atacantes. Não adianta procurar defeito, é ter a sabedoria de que o adversário é o melhor do mundo".

 

Muricy minimizou o tropeço na decisão do Mundial de Clubes e fez um balanço positivo da temporada santista, com as conquistas dos títulos do Campeonato Paulista e da Libertadores. "Perder para esse time não tem nenhum impacto. É preciso saber que jogamos três finais nesse ano", disse. "O time fez um grande trabalho e teve um ano muito positivo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.