Daniel Teixeira
Daniel Teixeira

Muricy pode escalar São Paulo com três zagueiros no clássico

Lucão, Toloi e Dória vêm sendo testados como titulares e podem formar o esquema tático contra o Corinthians, quarta-feira

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

16 de fevereiro de 2015 | 15h57

O esquema com três zagueiros se tornou uma das principais opções do técnico Muricy Ramalho para escalar o São Paulo no clássico, contra o Corinthians, nesta quarta-feira, na Arena Corinthians, na estreia das duas equipes pela fase de grupos da Libertadores. Com essa formação, o São Paulo goleou o Bragantino por 5 a 0 e teve uma das melhores atuações da temporada. Além disso, o esquema vem sendo ensaiado nos últimos treinamentos, o que mostra a inclinação do treinador. A chegada do zagueiro Dória, canhoto e com bom posicionamento e força física, reforçou a opção do treinador. Ele seria titular ao lado de Lucão e Toloi. 

No jogo de Bragança, as investidas dos alas, principalmente Boschilia, autor de dois gols, foram determinantes para o resultado e para o domínio do São Paulo. Pela esquerda, Reinaldo não teve a mesma força ofensiva, mas bloqueou bem os espaços. A defesa praticamente não foi ameaçada e o ataque conseguiu a goleada com bastante movimentação. "O time ficou bem organizado. Conversamos esses dias, treinamos e posicionamos. O time não se conhecia e tinha de ter ao menos um desenho tático. Tiramos boas conclusões", analisou o técnico Muricy Ramalho. 

O técnico vem treinando a equipe desta maneira desde a semana passada. No jogo-treino de quinta, contra o Nacional, na primeira movimentação de Dória e Centurión, a equipe venceu e convenceu. Nos dois dias seguintes - o time também treinou na dia do jogo contra o Bragantino -, Muricy também trabalhou o esquema. 

O São Paulo não terá Centurión, suspenso pela Conmebol, e Pato, que pertence ao Corinthians, no clássico de quarta-feira. Alan Kardec deve formar o ataque com Luis Fabiano. Caso opte por manter o esquema com três zagueiros, Michel Bastos deve ser o ala pela esquerda, função que desempenhou na maior parte da carreira. Na direita, Boschilia e Bruno disputam a posição. Essa formação também favorece a atuação de Ganso, que pode servir os jogadores que avançam pelos lados. Por fim, o esquema 3-5-2 deixaria o time mais consistente do meio para trás e, além disso, teria boas opções pelos lados, a maneira preferida de Muricy atacar. Com essa formação, ele foi tricampeão brasileiro. 

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolSão Paulo FCMuricy Ramalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.