Divulgação/São Paulo FC
Divulgação/São Paulo FC

Muricy quebra a cabeça para encontrar São Paulo ideal

Opções fazem treinador buscar alternativas de jogo e tem como desafio manter grupo focado

Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

29 de janeiro de 2015 | 07h00

A chegada de novos reforços e a provável contratação de Centurión darão a Muricy Ramalho uma variedade de peças no elenco à qual o treinador não estava acostumado nos últimos tempos. Se antes reclamava da falta opções, hoje o treinador tem como missão escolher entre as muitas alternativas especialmente no meio-campo.

Em 2014 o treinador já contava com Denilson, Souza, Maicon, Hudson, Ganso, Michel Bastos e Boschilia. Agora, ganhou Thiago Mendes, Daniel (machucado) e Wesley, que chega em fevereiro. Com tantas peças, ele agora tenta achar a melhor forma de jogar.

No treino da última quarta-feira, Muricy tirou Alan Kardec da equipe e promoveu a entrada de Cafu (outro recém-chegado), que atuou mais à frente com Michel Bastos e Luis Fabiano. Se bancar a mudança, o treinador abandonará o esquema que levou o time ao vice-campeonato do Brasileiro, mas pode também ganhar uma variável de jogo importante contra adversários mais fechados.

A principal tarefa agora será manter o grupo focado e evitar que a briga por posições se transforme num problema. "Se há disputa, ela é muito sadia. Não há trairagem, existe esperar a sua oportunidade", afirmou o volante Denilson, por ora garantido entre os titulares. "Temos que brigar pelo nosso espaço, mas todos se respeitam", endossa Thiago Mendes, um dos mais cotados para cavar uma vaga de titular em breve.

Enquanto o time que iniciará o Paulista é uma incógnita, é certo que a cobrança será muito maior. Até mesmo o presidente Carlos Miguel Aidar já avisou que Muricy "deve" um título ao clube, mas os atletas acreditam que a expectativa não atrapalhará o desempenho do grupo.

"A partir do momento que a diretoria começa a contratar e não se ganha título, é natural que exista a cobrança. Mas o Muricy é muito experiente e vencedor e não vai se abater. Em 2013 tivemos momentos muito difíceis aqui e o Muricy nos tirou daquela situação. No ano passado vieram vários jogadores que nos ajudaram e tivemos um segundo turno espetacular. Agora vieram mais jogadores e é claro que as pessoas querem títulos e com a gente não é diferente", concluiu Denilson.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCMuricy Ramalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.