Muricy quebra a cabeça para escalar o time do São Paulo

Técnico não conta com cinco jogadores para a partida diante do Marília, neste domingo, pelo Paulistão

Alfredo Luiz Filho, Jornal da Tarde

16 de fevereiro de 2008 | 12h52

Oito rodadas já se passaram no Campeonato Paulista e nada de o técnico Muricy Ramalho conseguir repetir a escalação do São Paulo ao menos uma vez. E a nona partida da temporada, na tarde deste domingo, contra o Marília, no Interior, não será diferente. Em relação ao clássico contra o Santos, o treinador deixou o campo já sabendo que havia perdido Adriano (expulso), Richarlyson (suspenso pelo terceiro cartão amarelo) e Joilson (com um estiramento muscular). Mas ao que tudo indica também não poderá contar com Miranda e, se bobear, nem mesmo com Carlos Alberto. Ambos passaram a semana toda sem treinar por causa de dores musculares. O zagueiro se queixa de um incômodo na coxa direita e o meia, na coxa esquerda. O caso de Miranda parece preocupar um pouco mais, já que o atleta até realizou um exame de ressonância magnética que não apontou lesão. Mesmo assim, deverá ficar fora do jogo em Marília. Carlos Alberto também não está garantido nem entre os reservas.Cinco desfalques que mais uma vez obrigam Muricy Ramalho a quebrar a cabeça, a se virar como pode para formar seu time. "Não tem como não mexer na equipe. É cartão, é contusão... Assim não dá mesmo para escalar sempre os mesmos 11. Não tem essa de time ideal, não. Time ideal é aquele que ganha", afirma o técnico são-paulino."Não é porque vocês não viram o Miranda e o Carlos Alberto no campo que eles não estão treinando. Eles ficaram fazendo outro tipo de trabalho. Caso não possam jogar, são baixas importantes porque não tenho opções. Vou ter que trazer alguns meninos", admitiu.A preocupação excessiva do chefão com a condição física dos atletas está diretamente relacionada à Copa Libertadores da América. Às vésperas da estréia do São Paulo no torneio - dia 27, contra o Atlético Nacional, em Medellín -, perder qualquer jogador com um sério problema muscular é tudo o que o Muricy não quer. Ainda mais por ter um elenco enxuto.Vale até mesmo tirar um pouco o pé do acelerador no Campeonato Paulista. Esse é o caso de Dagoberto. Mesmo recuperado de uma lesão muscular na coxa direita, o atacante será simplesmente reserva diante do Marília. No único coletivo antes do confronto no Interior, Muricy escalou o ataque com Aloísio e Borges. Dagoberto sequer participou. Passou o tempo todo em outro campo, junto com os demais atletas, treinando chutes a gol. E foi só."O Dagoberto está voltando, precisa melhorar sua forma física. E em Marília a temperatura vai estar alta na hora do jogo. O gramado também é pesado. É bobagem colocá-lo porque ele não vai agüentar. É perigoso até estourar", justifica o treinador. "O Aloísio e o Borges já estão entrosados. Dão muito trabalho para a defesa rival, mas é claro que o Adriano também faz falta, pelo seu estilo e por ser canhoto."Outra surpresa do treino foi a escalação de Hugo entre os titulares. Ele é o favorito a ficar com a vaga de Richarlyson no meio-de-campo. O meia só saiu do time no finalzinho, dando lugar ao veterano Júnior. Com Hugo no time, Jorge Wagner cuidará da ala. Na defesa, com Miranda de molho no Reffis, Alex é a única opção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.