Ricardo Saibun/Divulgação
Ricardo Saibun/Divulgação

Muricy quer que Neymar vire garçom e mude seu jeito de jogar

Técnico do Santos pretende convencer o jovem atacante a puxar a marcação e abrir buracos na defesa adversária

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

31 de março de 2013 | 08h00

SANTOS - Muricy Ramalho pretende convencer Neymar a mudar o seu jeito de jogar. Ao invés de voltar ao meio do campo, pegar a bola e sair driblando a todo momento para tentar chegar ao gol, a orientação do treinador é para que ele volte para puxar a marcação, abrindo buracos na defesa contrária, e trabalhe mais a bola para ajudar na criação de jogadas para os companheiros que estiverem mais adiantados.

Foi assim que Neymar atuou contra o Mogi Mirim e, embora não tenha feito gol, deu a assistência para o de Cícero, o primeiro no empate por 2 a 2.

"Não sei se o Felipão orientou o Neymar nesse sentido, mas converso com ele para que volte um pouco mais, porque assim atrai a marcação, pode participar da articulação e fazer jogadas geniais como aquela que fez no lance do gol do Oscar contra a Itália", disse o treinador, referindo-se ao lance em que ele partiu do campo do Brasil com a bola dominada, atraiu a marcação e quando chegou à entrada da área fez o passe que deixou o meia livre para marcar.

O que mais animou Muricy foi que, mesmo sem ter feito uma grande partida, Neymar, atuando um pouco mais atrás, fez com que o Santos tivesse mais tempo a bola contra um adversário bem montado como o Mogi Mirim.

É dessa forma que o técnico quer ver o Santos jogando daqui em diante, principalmente a partir das quartas de final do Campeonato Paulista.

A defesa preocupa. Agora Muricy vai tentar consertar os erros defensivos - o time já tomou 18 gols, média de 1,2 por jogo. E, para complicar a situação, o setor estará desfalcado hoje. O treinador vai escalar o zagueiro Neto no lugar de Edu Dracena, que está desgastado, e Guilherme Santos na vaga de Léo, que não tem condições de jogo por causa de uma pancada no pé esquerdo que levou contra o Mogi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.