Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Muricy quer que o time arrisque chutes como Pabon

Atacante colombiano vem se destacando nas últimas partidas

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

17 de fevereiro de 2014 | 05h00

SÃO PAULO - Bastaram apenas duas partidas para que Muricy Ramalho se rendesse a Pabon. O atacante colombiano teve uma boa atuação no empate sem gols com a Portuguesa e fez algo que o treinador vinha pedindo para os outros jogadores desde o início da temporada: finalizou para o gol, sem ter medo de errar. "Ele tem personalidade. Erra, mas não se intimida. E erra muito porque arrisca", diz o comandante.

Dos pés de Pabon saíram as principais chances de gol do time. Ele tentou de fora da área, bateu cruzado, mandou de muito longe e até assumiu a bola parada da intermediária. "Pabon arrisca muito e eu cobro isso constantemente dos nossos atacantes. Ao final das partidas, quando pego as estatísticas e vejo que temos apenas um arremate, fico incomodado. Atacante tem de finalizar muito mais. Isso é importante e acredito que essa postura dele vai passar para os outros jogadores."

Nas duas últimas derrotas, para Palmeiras e Ponte Preta, o técnico reclamou do baixo número de finalizações da equipe. Ele vem cobrando de Ganso e dos atacantes, mas até agora parece que só Pabon assumiu a tarefa. "Não adianta a gente jogar com três homens na frente e não finalizar. Contra a Ponte, a gente finalizou muito pouco e agora diante da Portuguesa chegamos muito mais no ataque. Nossa chegada melhorou bastante."

Pabon veio por empréstimo do Valencia até a metade de 2015. Muricy já tinha informações de que ele é um jogador que costuma chutar bem.

"O Pabon é um jogador interessante. Contra a Portuguesa, correu até o final, fez bem o corredor pelos lados do campo e acho que vai nos ajudar muito. Ele bate bem na bola e gostei da movimentação que teve."

ELOGIO AO FABULOSO

Quando puder contar com Alexandre Pato, que não pode atuar no Paulistão porque já fez cinco jogos pelo Corinthians no torneio, Muricy deve formar o ataque com Pato, Luis Fabiano e Pabon. A estreia do trio ofensivo deve ser na Copa do Brasil - o São Paulo enfrentará o CSA em Maceió no dia 12 de março.

O treinador também elogiou o momento de Luis Fabiano, que mesmo tendo passado em branco contra a Lusa lutou até o final.

"Ele está muito diferente em relação ao ano passado, quando ficou bastante no departamento médico. Este ano não perdeu nenhum treinamento, está participativo, mais disciplinado e ajudando com os mais jovens. O seu comportamento mudou muito."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.