Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Muricy Ramalho avisa que São Paulo vai ao ataque na Argentina

Técnico promete uma equipe ofensiva diante do San Lorenzo

PAULO FAVERO, O Estado de S. Paulo

30 Março 2015 | 12h30

O técnico Muricy Ramalho começa a preparar nesta segunda-feira o São Paulo para o duelo com o San Lorenzo, quarta-feira, em Buenos Aires, pela Copa Libertadores. Os atletas treinam à tarde no CT da Barra Funda e no dia seguinte já embarcam para a capital da Argentina. "Teremos dificuldades. Não é um jogo decisivo para nós, mas uma vitória nos deixa bem perto da classificação. Com respeito ao rival, vamos tentar ganhar lá", avisou.

O treinador se baseia na classificação da chave para colocar seu ponto de vista. Como o São Paulo está três pontos à frente do rival, uma vitória abriria a diferença para seis pontos. Um empate deixaria a mesma distância e uma derrota embolaria, mas não tiraria o time da competição. "Por isso que vamos para cima, pois nossa equipe não tem como característica se defender. Precisamos arriscar e incomodar o adversário", disse.

O que mais incomoda o comandante é a falta de profundidade do time. Ele sabe que a equipe precisa ser mais incisiva e está quebrando a cabeça para fazer isso funcionar. "A gente tem um problema de profundidade, falta rapidez na transição da defesa para o meio-campo. Por isso, insisto muito que um dos volantes e os meias precisam entrar na área", afirmou.

Ele promete mudanças na equipe e Kardec, autor de dois gols na vitória por 3 a 0 sobre o Linense, deve ganhar uma vaga. "A gente sempre dá oportunidade para ele. Contra o Linense, já estava definido que o Pato jogaria o primeiro tempo e ele o segundo. Nunca podemos largar o Kardec porque ele marca gols, mesmo se sacrificando muito para o time", elogiou.

Os próximos dias devem indicar com que formação Muricy vai enfrentar o atual campeão da Libertadores. "Ainda estou estudando qual a melhor maneira de atuar e todos têm oportunidade. Nosso pensamento é de mudança, pois o time não está dando resultado e precisa vir algo. Se ganharmos ficaremos perto da classificação. Se perdemos, ainda teremos chances. Mas é quarta-feira que vale, é na quarta que temos de buscar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.