Muricy Ramalho comemora contratações no São Paulo

De férias no litoral paulista, o técnico Muricy Ramalho tem motivo para rir à toa. O presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, tem trabalhado rápido para entregar ao treinador tricampeão brasileiro um time ainda mais forte em 2009. Com o elenco quase desenhado, Muricy comemora a possibilidade de ter tempo para definir o time titular para a Libertadores, prioridade em 2009. "As coisas estão caminhando mais rápido desta vez. É bom ter opções", comentou.Na quinta-feira, a diretoria confirmou a contratação: o lateral-esquerdo Junior Cesar, ex-Fluminense, que assinou por quatro anos. "Entendemos que com a vinda dele o nosso elenco está muito mais apto para as campanhas de 2009", disse o diretor de futebol, João Paulo de Jesus Lopes.Antes de Junior Cesar, foram contratados o atacante Washington, o lateral-direito Wagner Diniz, o zagueiro Renato Silva e o volante Eduardo Costa. O também volante Arouca pode ser o próximo.Além disso, por enquanto, Muricy não perdeu ninguém de relevância do elenco campeão brasileiro há 12 dias. Deixaram o Morumbi apenas figurantes, como os laterais Júnior e Jancarlos, que não tiveram os contratos renovados, e o atacante Éder Luis, devolvido ao Atlético Mineiro.As outras negociações próximas de um desfecho também são de reservas. O zagueiro Juninho pode voltar para o Botafogo, enquanto o também zagueiro Anderson, emprestado pelo Lyon até julho, diz negociar com o Flamengo. Já Richarlyson está à venda por R$ 20 milhões.Em relação aos titulares, Juvenal tenta resistir ao assédio da Europa. Na quinta, o jornal italiano Corriere dello Sport divulgou que a Lazio está interessada no zagueiro Miranda. A multa é de US$ 20 milhões (R$ 47 milhões), mas o presidente já admitiu vendê-lo por menos da metade disso. Mesmo com o título brasileiro, o São Paulo fechou o ano com um déficit de R$ 20 milhões, justamente por não ter feito nenhuma grande negociação.Juvenal ainda espera novas propostas pelo volante Hernanes, após recusar os US$ 18 milhões (R$ 42 milhões) do CSKA Moscou. O discurso é de que o volante só sai por 25 milhões de euros (R$ 84 milhões), valor da multa rescisória.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.