José Patrício/AE
José Patrício/AE

Muricy Ramalho descarta deixar o São Paulo e pede tempo

Treinador pede desculpas aos torcedores pela eliminação da Libertadores e diz que time ficou abatido

19 de junho de 2009 | 00h58

O técnico Muricy Ramalho foi o reflexo do grupo são-paulino após a derrota para o Cruzeiro por 2 a 0 pela Copa Libertadores. Abatido, o treinador disse que agora os jogadores precisarão de tempo para se recuperar da eliminação.

Veja também:

linkSão Paulo tenta apagar derrota e pensar no clássico

linkSão-paulinos lamentam a eliminação e o descontrole

linkJOGO - Leia como foi São Paulo 0 x 2 Cruzeiro

especialLeia mais da Libertadores no canal especial

tabela Copa Libertadores - Classificação e Calendário 

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"A responsabilidade toda é do treinador", afirma. "Agora só existe uma coisa a se fazer, que é dar tempo. Infelizmente alguns jogadores não vão se recuperar tão facilmente, porque eles também são seres humanos. E domingo já teremos o clássico com o Corinthians."

A torcida do São Paulo vaiou o time ao final do jogo e pediu a saída de Muricy. "Eu tenho de pedir desculpa para os torcedores. Não podemos reclamar da falta de apoio. Eles nos incentivaram o tempo todo, mas também chega uma hora que precisam desabafar."

Muricy descartou deixar o comando do São Paulo. "Eu não vou sair. Recebo proposta toda hora, mas isso não é o problema. Se eu sentir alguma coisa diferente, que não estou dando resultado, eu saio. Não faço esforço para continuar ganhando dinheiro."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.