Muricy Ramalho diz que Paulo Henrique Ganso 'não vinha bem faz tempo'

Jogador, ex-Santos, fica no banco no clássico paulista e entra no decorrer do segundo tempo

Fernando Faro, Agência Estado

23 de fevereiro de 2014 | 20h37

SÃO PAULO - Ainda que não tenha feito nada para justificar sua escalação na atual temporada, no primeiro momento a ausência de Paulo Henrique Ganso contra o Santos causou estranheza em todos especialmente pelo fato de Muricy Ramalho ter apostado numa equipe sem um meia criativo. Mas é inegável que a saída do jogador coincidiu com a partida mais consistente taticamente em 2014.

Com Douglas e Pabón ocupando funções ofensivas, o São Paulo foi uma equipe mais veloz com a bola nos pés e conseguiu se recompor em velocidade no meio quando perdia a bola, cenário bem diferente do que era visto até então. Mesmo sem volantes exclusivamente marcadores, a equipe conseguiu se sair bem e anulou as principais armas dos santistas.

"Queria um jogador que encostasse no Luis (Fabiano) e chutasse mais. Precisaria ser um jogador de velocidade. Foi só uma decisão só, nada pessoal. O treinador precisa intervir às vezes, ele (Ganso) não vem bem há algum tempo e é preciso que se faça alguma coisa", afirmou Muricy, que pôs panos quentes para evitar um mal-estar. "Não tem nada de excepcional, foi só uma decisão."

Ganso se tornou um assunto espinhoso para Muricy Ramalho neste ano. A queda aguda de rendimento em relação ao seu ótimo fim de temporada no ano passado tem deixado o treinador irritado até para falar sobre o jogador. Na última sexta, ironizou os jornalistas e disse que faltava criatividade nas perguntas, mas no fim mostrou que também não aguenta mais pedir para seu habilidoso meia ser mais participativo e chegar na área.

INSTABILIDADE - Contratado junto ao Santos por R$ 23,9 milhões em 2012, a passagem de Ganso pelo São Paulo tem sido marcada por altos e baixos desde o começo. Primeiro amargou a reserva de Jadson e nas muitas vezes em que foi testado ao lado do antigo companheiro - sobretudo com Ney Franco - não correspondeu e deixou a desejar.

Só com Paulo Autuori, em junho do ano passado, que seu futebol começou a crescer e quando Muricy chegou ele chegou ao seu melhor momento. Terminou o ano bem, mas voltou para a temporada relembrando o "velho" Ganso sonolento e acomodado. Não à toa a diretoria quer mais um meia para o Campeonato Brasileiro.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCMuricyGanso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.