Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Muricy Ramalho elege criação como vilã por eliminação do São Paulo

Treinador reclama da falta de oportunidades criadas pelo time na partida contra o Penapolense

O Estado de S. Paulo

27 de março de 2014 | 01h09

SÃO PAULO - Após a eliminação de um time grande para um pequeno em qualquer competição, é comum que se crie um "vilão" para apontar como culpado. Na queda do São Paulo para o Penapolense, o técnico Muricy Ramalho elegeu o problema: o setor de criação da equipe tricolor.

"A gente criou muito pouco, não dá para dizer que faltou tranquilidade. Faltou muito mais futebol", disse. "Não faltou tranquilidade, faltou clareza, aproximação e mais criação. Os goleiros quase não trabalharam, nenhum dos dois, foi um jogo muito pobre em termos de oportunidade", explicou Muricy Ramalho.

CAMPEONATO FRACO

Sem ter outros jogos do Estadual pela frente, o técnico aproveitou a entrevista para fazer balanço da participação do São Paulo no Paulistão. "Sou realista, não conformista. Não fizemos um grande campeonato", reclamou o técnico. 

Ele também deu a sua opinião sobre a decisão da Federação Paulista de Futebol de manter a fórmula do torneio em 2015. "Temos que ver especialmente o público. Parece que esse não foi um grande torneio para o torcedor. Precisamos melhorar isso", aconselhou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.