Rubens Chiri/São Paulo FC
Rubens Chiri/São Paulo FC

Muricy Ramalho fala sobre a saída de Daniel Alves do São Paulo: 'Os dois lados falharam'

Coordenador de futebol do clube comentou a conturbada saída do lateral-direito em programa da TV Gazeta neste domingo

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de outubro de 2021 | 10h52

A conturbada saída de Daniel Alves ainda é motivo de debate no São Paulo. Muricy Ramalho, coordenador de futebol do Tricolor, comentou sobre o assunto neste domingo. Para ele, tanto o lateral-direito quanto a diretoria do clube erraram na condução da crise entre as partes. 

"Acho que os dois lados falharam. O São Paulo, quando contratou o Daniel, na verdade não tinha condições de tê-lo, porque o salário é altíssimo e o clube não tinha condição, como ficou demonstrado. O cara vai lá, trabalha duro todo dia, joga. Então, tem que receber. Acumulou muito a dívida com ele. Nisso, ele tem razão", disse Muricy no programa "Mesa Redonda", da TV Gazeta

Daniel Alves foi liberado pelo São Paulo para reforçar a seleção brasileira na disputa da Olimpíada de Tóquio, onde a equipe de André Jardine faturou a medalha de ouro. Após o torneio, o jogador avisou a diretoria que não se apresentaria até receber o pagamento de uma dívida estimada em R$ 18 milhões. O departamento de futebol decidiu pelo afastamento do lateral. A atitude do atleta foi condenada por Muricy. 

"O que não foi legal e acho que ele até reconheceu foi depois da Olimpíada. O São Paulo não fez, por exemplo, o que o Flamengo fez com o Pedro. A gente viu o lado dele. Foi para as Olimpíadas, foi campeão. As declarações não caíram bem. Não só para nós, da diretoria, mas para a torcida. Porque a gente facilitou a ida dele", disse Muricy.

"Não criamos nenhum problema, como poderíamos criar, porque era um jogador muito importante para nós. Não fizemos isso e respeitamos o sonho dele. Receber aquelas palavras foi duro demais. Acho que ele até se arrependeu disso, porque não foi legal", acrescentou.

Com a camisa 10 do São Paulo, Daniel Alves conquistou o Campeonato Paulista de 2021, título que o clube não ganhava desde 2005. O jogador rescindiu com a equipe tricolor em setembro, 15 meses antes do fim de seu contrato. Aos 38 anos, o lateral está livre no mercado e ainda não definiu qual será o próximo passo da carreira. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.