Muricy Ramalho ironiza notícia que o coloca no rival Palmeiras

Técnico são-paulino ri de publicação que especulou sobre uma possível substituição a Vanderlei Luxemburgo

Robson Morelli - Jornal da Tarde,

23 de setembro de 2008 | 11h20

Foi o próprio Muricy Ramalho que mostrou a nota da revista Veja desta semana aos companheiros da comissão técnica antes da partida contra o Sport, domingo. Nela, seu nome aparecia como substituto certo de Luxemburgo no Palmeiras após a ‘convocação’ deste por Ricardo Teixeira, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), para o lugar de Dunga na Seleção. A dança das cadeiras é assunto recorrente tanto no Palestra quanto nos corredores da CBF na Barra da Tijuca.   Veja também: Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão Muricy Ramalho aposta no Morumbi para vencer Cruzeiro Ataque empacado complica a vida do São Paulo no Brasileiro   Muricy mostrou a nota com certa ironia no rosto, desdenhando o redator por ter revelado seu destino sem qualquer consulta prévia. A informação fechou a semana em que Juvenal Juvêncio, manda-chuva do Morumbi, veio a público para declarar sua lealdade ao treinador e disposição de mantê-lo no comando da equipe até o fim do seu contrato (em 2009).   Ocorre que Muricy tem o perfil que a Traffic gostaria de ter em suas fileiras. Na empresa de J. Hawilla, parceira do Palmeiras e que hoje banca 50% do salário de Luxemburgo e faria o mesmo com o de Muricy, a possível contratação do treinador são-paulino virou tema de discussão. O problema que pega lá é o mesmo que pega no Morumbi: o respeito de Muricy pelos documentos que assina.   Pessoas ligadas ao treinador não vêem nele tanta segurança e coragem para ‘pular o muro’ dos centro de treinamentos (lado a lado na Barra Funda). Também acham difícil uma rescisão. "A possível saída do Muricy talvez esteja ligada à não classificação do time para a Libertadores, mesmo assim se ele se achar desgastado ou com o ciclo encerrado no São Paulo", opina o superintendente Marco Aurélio Cunha. "A não classificação pode desgastar toda a comissão técnica e até mesmo o presidente Juvenal. Isso é comum nos clubes quando o objetivo não é alcançado. É a única chance que vejo de ele sair do Morumbi hoje."   Se isso acontecer - no momento o São Paulo está fora da Libertadores - Muricy teria ainda o Inter como opção, onde já trabalhou e cujo terreno conhece bem. O Inter sondou sua volta no ano do seu Centenário, em 2009.   Márcio Rivellino, agente do treinador e que tem alguns negócios com a Traffic, jura que o assunto nunca foi tratado diretamente com ele. "Minha função é ouvir todas as propostas para Muricy e levá-las até ele. Confesso que essa da Traffic para o lugar de Luxemburgo ainda não chegou a mim."   Envolvendo o Palmeiras, Rivellino recorda-se de convite em 2005, mas Muricy tinha contrato na época e preferiu não levar a discussão adiante. Encerrou o assunto antes de ele ganhar corpo. "Como uma situação depende da outra (para Muricy trabalhar no Palmeiras, Luxa precisa ir para a Seleção), é preciso esperar que as coisas aconteçam na sua ordem natural," diz Rivellino. Júlio Mariz, da Traffic, não foi encontrado.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.