Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

Muricy Ramalho não é mais treinador do São Paulo

Tropeço na Libertadores foi fundamental para a saída do técnico; Tite e Abel Braga são as opções

Andréia Sadi, estadao.com.br

19 de junho de 2009 | 21h19

Depois de cerca de três anos e meio no comando, Muricy Ramalho não é mais treinador do São Paulo. Ele deixou o clube em comum acordo na noite desta sexta-feira após reunião com o presidente Juvenal Juvêncio. A situação de Muricy ficou insustentável depois da derrota para o Cruzeiro, pela Copa Libertadores. A confirmação da queda foi feita pelo vice-presidente de futebol do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

Veja também:

forum VOTE: São Paulo acerta ao demitir Muricy Ramalho?

especialVisite o canal especial do Brasileirão

especialJogue o Desafio dos Craques

lista Brasileirão - Calendário

tabela Brasileirão - Classificação

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Muricy sofreu muitas críticas pelo trabalho deste ano na Libertadores. O treinador também teve de enfrentar constantes desentendimentos com os jogadores, principalmente os atacantes, que demonstraram insatisfação pela não definição da dupla titular - Borges, Dagoberto e Washington fizeram críticas públicas.

 NÚMERO

 360 partidas

 Muricy Ramalho é o quarto técnico que mais disputou jogos no São Paulo. Foram 194 vitórias, 100 empates e 66 derrotas, com aproveitamento de 63%
No São Paulo, Muricy brilhou ao conquistar três títulos seguidos do Campeonato Brasileiro. O treinador, no entanto, não conseguiu o mesmo sucesso na disputa da Libertadores, principal desejo do clube. Em quatro edições, Muricy sempre acabou eliminado por outro clube brasileiro - na quinta-feira, levou 2 a 0 do Cruzeiro no Morumbi.

Após a derrota para o Cruzeiro, Muricy já demonstrava descontentamento com o São Paulo na entrevista coletiva. "Fico enquanto achar que devo ficar. No momento em que sentir que não posso mais contribuir para o clube, vou sair. Não penso apenas no dinheiro, mas no que posso fazer."

De acordo com um dirigente, os nomes para o lugar de Muricy são Tite, do Internacional, e Abel Braga, do Al-Jazira, dos Emirados Árabes. O treinador do Inter, porém, só seria contratado em caso de derrota para o Corinthians na Copa do Brasil - já perdeu o primeiro jogo por 2 a 0.

Em meio à crise, o São Paulo tem um jogo complicado neste domingo diante do Corinthians, pelo Campeonato Brasileiro. O clube alvinegro foi o responsável por eliminar o time tricolor nas semifinais do Campeonato Paulista. Uma derrota pode deixar o clima ainda mais tenso.

Atualizado às 22h57 para acréscimo de informação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.