Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

Muricy Ramalho não teme perder o emprego no Palmeiras

Diretoria fará reunião nesta quinta-feira para definir o futuro do treinador e do time para a temporada

estadao.com.br,

18 de fevereiro de 2010 | 09h40

"Não tenho medo de porra nenhuma", disparou o técnico Muricy Ramalho ao ser questionado sobre a possibilidade de perder o emprego no Palmeiras. A derrota para o São Caetano por 4 a 1 provocou a revolta dos torcedores. A diretoria do alviverde fará, nesta quinta-feira, uma reunião que definirá o futuro do clube.

Veja também:

linkPalmeiras sofre derrota histórica e Muricy fica ameaçado

PAULISTÃO - lista RESULTADOS / tabelaCLASSIFICAÇÃO

ELDORADO/ESPN - som Ouça os gols do jogo

O presidente Luiz Gonzaga Belluzzo não assegurou a permanência do treinador após a derrota. "Nessa reunião faremos uma análise sobre tudo o que está acontecendo. Tenho uma ótima relação com o Muricy, é um treinador muito trabalhador", explicou à rádio Jovem Pan. "Agora, vou tomar a decisão que achar mais apropriada. Foi incompreensível perder dessa maneira."

Outros que podem perder o emprego no Palmeiras são o vice-presidente de futebol, Gilberto Cipullo, e o gerente de futebol, Toninho Cecílio. "Não podemos ter medo de assumir a responsabilidade. Alguma coisa ruim está acontecendo. É lamentável tomar uma bordoada do São Caetano, o time não é desqualificado assim", resumiu Belluzzo.

O Palmeiras terá, neste domingo, o São Paulo pela frente. Muricy disse não temer a reunião e afirma que já pensa no jogo no Palestra. "Não vou sair. Nunca vou pedir demissão. Procuro encarar os fatos pelo lado bom. Uma pancada como essa para o São Caetano pode servir para que a gente acorde", acredita o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.