Muricy Ramalho pode trocar o São Paulo pelo México

Desgastado no clube, técnico recebe proposta de R$ 225 mil por mês para comandar a seleção mexicana

Marcius Azevedo, Jornal da Tarde

08 de maio de 2008 | 09h46

A segunda passagem de Muricy Ramalho pelo São Paulo pode estar com os dias contados, apesar da vitória sobre o Nacional-URU pela Copa Libertadores. Além do desgaste que existe entre o técnico e membros da diretoria do clube, Muricy recebeu duas propostas mexicanas.   Veja também: Ouça os gols da vitória do São Paulo - Rádio Eldorado/ESPN - AM 700   A principal é da própria seleção do México. A Federação Mexicana de Futebol busca um substituto para Hugo Sanchez, que entrou no lugar de Ricardo Lavolpe em novembro de 2006 e foi demitido em março por não ter conseguido bons resultados. Com um dos maiores atacantes de sua história no comando, os mexicanos não conseguiram vaga nos Jogos Olímpicos de Pequim e ainda foram derrotados pelos Estados Unidos na decisão da Copa Ouro.   Muricy é um dos cotados para o cargo. Ele tem prestígio no México, e não apenas pelo currículo vitorioso. Foi jogador do Puebla e depois treinador da mesma equipe em 1993.   A possibilidade de Muricy ir para o México foi confirmada ao Jornal da Tarde pelo fisioterapeuta da seleção mexicana, o brasileiro Carlos Henrique Peçanha. Segundo ele, o único empecilho é que os concorrentes do treinador do São Paulo trabalham no futebol mexicano.   "As eliminatórias [da Copa do Mundo de 2010] começam em junho. Não sei se um técnico que não está aqui [no México] conseguiria fazer o trabalho neste curto espaço de tempo", contou Carlos Henrique Peçanha.   Além de Muricy, o mexicano Raúl Arias, do San Luis, e o argentino Jose Pekerman, do Toluca e que treinou a Argentina na Copa de 2006, estão na lista da Federação Mexicana. A quarta opção seria o também brasileiro Paulo Autuori, que já trabalhou na seleção peruana e está no Catar.   A proposta financeira é muito tentadora. O escolhido receberá US$ 150 mil mensais (R$ 225 mil). "O Arias e o Pekerman são os preferidos. Mas o Muricy é um treinador vitorioso, que seria bom para assumir a seleção neste momento", comentou Carlos Henrique Peçanha.   A outra opção para Muricy é o América do México. O técnico Omar Romano foi demitido semana passada, depois da derrota em casa para o Flamengo, pela Libertadores (o América reverteu o placar no Maracanã, nesta quarta), e um substituto ainda não foi contratado. O nome do são-paulino ganhou força no clube depois da recusa do argentino Carlos Bianchi. O salário seria um pouco inferior ao pago pela Federação Mexicana, mas ainda assim superior ao que ele recebe no São Paulo (cerca de R$ 150 mil).   Além disso, como revelou recentemente um dirigente próximo ao presidente Juvenal Juvêncio, não existe multa para ele sair. Muricy ainda não fala abertamente do assunto, mas já disse que "sempre recebe ligações de amigos mexicanos".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.