Jonne Roriz/AE - 27/11/2009
Jonne Roriz/AE - 27/11/2009

Muricy Ramalho: 'Trabalho com o que tenho nas mãos'

Técnico diz que não pressionará diretoria para a contratação de reforços; acerto com Velázquez fica difícil

estadao.com.br,

14 de fevereiro de 2010 | 14h35

O técnico Muricy Ramalho sabe que o Palmeiras precisa de reforços para a disputa do Paulistão e da Copa do Brasil, principalmente no setor ofensivo, onde conta com Robert e Lenny. O treinador, porém, afirmou após o empate com o Botafogo-SP que não cobrará mais a diretoria e que trabalhará com o que tem em mãos.

 

"Técnico não manda no clube", afirma Muricy. "Eu jogo com o que tenho. Não vou reclamar. Faço o meu trabalho todos os dias. Sei da minha importância nesse time. Se vocês [imprensa] estivessem no comando do clube, o Palmeiras não ganhava nenhum jogo."

 

Sem dinheiro em caixa, o Palmeiras tenta acerto com Ewerthon, que busca sua liberação do Zaragoza, da Espanha. Outro nome na lista é o de Velázquez. A contratação do paraguaio, porém, está complicada e depende de investimentos da parceira Traffic. O Libertad (PAR), dono dos direitos do atleta, dificultou o acerto.

 

Outro que pede força para os jogadores que estão no elenco é o experiente goleiro Marcos. "A gente não tem de pedir reforços. Nós, jogadores, temos de fazer a nossa parte e entrar em campo concentrado para fazer o melhor."

 

O próximo jogo do Palmeiras no Paulistão é nesta quarta-feira diante do São Caetano, no Palestra Itália.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolPalmeirasMuricy Ramalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.