Muricy rechaça cansaço e quer força máxima no São Paulo

Apesar de Aloísio e Rogério Ceni não terem participado do treino do São Paulo nesta sexta-feira, o atacante e o goleiro deverão estar em campo na partida com o Juventus. O treinador Muricy Ramalho não teme a maratona de jogos e pretende escalar todos os titulares para o confronto deste sábado, no Estádio do Pacaembu, pela 11.ª rodada do Campeonato Paulista.Porém, o comandante são-paulino disse ter bom senso antes de mandar um jogador ao gramado para evitar lesões. "Já estou aqui há mais de um ano e sei muito bem quem se desgasta mais. É claro que se alguém não estiver bem a gente tira. Tenho a responsabilidade de ouvir as pessoas, mas a decisão é minha. Não é médico quem decide, sou eu", discursou. "Eles [atletas] ainda estão inteiros. Disputaram apenas 12 jogos. É pouco ainda. No final do ano, pode aparecer alguém pedindo para sair. Agora, não."Como só volta a jogar pela Libertadores da América no dia 21 de março - contra os mexicanos do Necaxa -, Muricy quer força máxima para seguir no topo do Estadual. A equipe pode assumir a liderança se vencer o time da Mooca e o Santos tropeçar diante do Paulista de Jundiaí, na Vila. "Preciso ver o que é bom para o clube. Não viajamos neste meio de semana e os atletas se recuperaram bem. Ainda temos que ver se vale a pena segurar os jogadores. O certo é que os relacionados são os mesmos da última partida", acrescentou o treinador, referindo-se a goleada por 4 a 0 sobre o peruano Alianza Lima, na última quarta, pela Libertadores da América.Para tranqüilizar os torcedores, o médico são-paulino Jose Sanchez disse após o treino desta sexta-feira no CCT da Barra Funda que a situação de Aloísio e Rogério Ceni não preocupa. "Dou atenção a número de jogos, competições seguidas, desgaste, mas não é o médico que decide. Pelos testes, a recuperação está muito boa, ninguém está acusando cansaço muito grande. Só o desgaste normal. Nada de alarmante", comentou. Invicto há quase dez mesesA invencibilidade do São Paulo já dura cinco meses, mas a do zagueiro André Dias é ainda maior. O defensor revelou nesta sexta-feira que está sem perder no clube paulista há quase dez meses. Segundo o jogador, ele não sofre nenhum revés desde 14 de maio, quando o time do Morumbi caiu diante do Internacional por 3 a 1, em Porto Alegre.Depois disso, o São Paulo até chegou a perder outras vezes, mas André Dias não esteve em campo por causa de lesões e por conta da briga judicial com o Goiás, que tirou o zagueiro dos gramados por três meses - a equipe goiana recebeu R$ 2 milhões para retirar o processo na Justiça.Ele também amargou um tempo na reserva depois que o Muricy mudou o esquema para o 4-4-2 no segundo semestre de 2006. "Se o Muricy quer continuar vencendo, acho que precisa me escalar contra o Juventus", brincou o atleta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.