Muricy vê duelo de 'craques diferenciados' no clássico

Depois de comandar o Santos em duas vitórias seguidas no Campeonato Brasileiro, o técnico Muricy Ramalho agora prepara os seus jogadores para o clássico deste domingo, contra o São Paulo, às 16 horas, na Vila Belmiro, pela última rodada do primeiro turno do torneio nacional. E o treinador já vislumbra um duelo de "craques diferenciados" na partida. No caso, os principais deles são Neymar, do time santista, e Lucas, da equipe do Morumbi.

AE, Agência Estado

26 de agosto de 2011 | 16h04

"Esses craques como Lucas e Neymar são a diferença. O São Paulo tem outros grandes jogadores, como o Dagoberto, que em um drible define o jogo. No nosso lado, também temos outros atletas que podem decidir, como foi da última vez contra eles. Nós ganhamos, mas o São Paulo jogou muito", afirmou Muricy, em entrevista coletiva nesta sexta-feira, se referindo ao jogo em que os santistas venceram por 2 a 1, no Morumbi, pelas semifinais do Paulistão deste ano.

O comandante, porém, negou que pretenda promover uma marcação individual sobre Lucas ou até mesmo sobre Dagoberto no clássico. "É difícil marcar individualmente, a não ser quando jogamos contra uma equipe sul-americana, que possui esquema definido. As brasileiras se mexem mais e é difícil marcar somente um jogador. Por isso, se marca por zona no Brasil", justificou o treinador.

Além de Neymar, Muricy aposta mais uma vez no poder de criação de Paulo Henrique Ganso para superar o São Paulo. Na última vez em que encarou o rival, por sinal, o meio-campista foi decisivo para o triunfo sobre os são-paulinos na semifinal do Paulistão.

Caso volte a bater o São Paulo, o Santos irá se distanciar ainda mais da zona do rebaixamento do Brasileirão, sendo que a equipe ainda tem um jogo a menos que os demais no primeiro turno. O time disputará, apenas em outubro, um duelo adiado com o Grêmio, o outro clube que também está com 17 partidas disputadas na competição - todos os outros já realizaram 18 jogos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.