Celso Junior/Estadão
Celso Junior/Estadão

Muricy volta ao São Paulo para lutar contra rebaixamento

Depois de investimento fracassado em Paulo Autuori, diretoria aposta em velho conhecido do clube

FERNANDO FARO, Agência Estado

09 de setembro de 2013 | 18h56

SÃO PAULO - Ao mesmo tempo quem demitia o técnico campeão do mundo em 2005, o São Paulo definia a volta do treinador que levou ao clube ao tricampeonato brasileiro em 2006/2007/2008. Novo comandante tricolor, Muricy Ramalho vinha tendo seu nome gritado pela torcida nos jogos que antecederam a demissão de Ney Franco (antecessor de Autuori) e agora assume o time para livrá-lo do rebaixamento no Brasileirão. Para tanto, terá ainda 19 rodadas.

Esta será a terceira passagem de Muricy Ramalho pelo comando do São Paulo. Ex-jogador da equipe entre 1973 e 1979, ele voltou ao Morumbi em 1993, como auxiliar-técnico do ídolo Telê Santana. Seu primeiro trabalho como treinador foi à frente do "Expressinho Tricolor", equipe reserva que foi campeã da Conmebol em 1994 com uma série de jogadores das categorias de base, entre eles Rogério Ceni.

Quando Telê Santana foi obrigado a se afastar do futebol (e depois se aposentar) por conta de uma isquemia, Muricy assumiu o comando da equipe. Ficou cerca de seis meses como treinador, sendo substituído, depois, por Carlos Alberto Parreira. Seguiu como auxiliar e voltou a comandar a equipe em 1997. Nesta passagem, porém, não conseguiu glórias e foi demitido depois de um início ruim de Campeonato Paulista.

O treinador depois passou por uma série de times menores (Ituano, Botafogo-SP, Portuguesa Santista, Náutico e Figueirense) até chegar ao Internacional, quando foi vice-campeão brasileiro em 2005.

Quando Paulo Autuori deixou o Morumbi para assumir um time japonês, ao fim de 2005, Muricy finalmente realizou o sonho de voltar ao São Paulo. Ali, conquistou os títulos brasileiros de 2006, 2007 e 2008, no primeiro tricampeonato consecutivo de um mesmo time no País.

A sua segunda passagem pelo São Paulo chegou ao fim pelo insucesso nos mata-matas. A equipe caiu quatro vezes seguidas diante de times brasileiros na Libertadores, entre 2006 e 2009. Depois da última delas, contra o Cruzeiro, a diretoria resolveu pela demissão de Muricy.

O treinador, em seguida, assumiu o comando do Palmeiras, mas não foi bem. Acabou demitido depois de uma goleada exatamente do São Paulo, no Paulistão 2010. Seu próximo clube foi o Fluminense, que assumiu em abril. Foi campeão brasileiro com o time das Laranjeiras, mas acabou dispensado pela campanha ruim na Libertadores.

Um mês depois, assumiu o Santos no meio da competição continental, também em má fase, mas levou a equipe até o tricampeonato da Libertadores. Ainda em 2011, foi campeão paulista e vice-campeão mundial. No ano passado, ganhou mais uma vez o estadual, mas foi mal na Libertadores e no Brasileirão.

O treinador deixou o Santos no final de maio passado, depois de uma derrota para o Botafogo. Ele havia sido vice-campeão com o Santos no Paulistão, perdendo a chance de um inédito tetracampeonato para a equipe da Vila.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.