Lucas Merçon/Fluminense
Lucas Merçon/Fluminense

Muriel pede mais coragem ao Fluminense e Nino lamenta chances desperdiçadas

'Única coisa que nos resta é trabalhar, para que essa bola comece a entrar', diz o zagueiro da equipe carioca

Redação, Estadao Conteudo

31 de outubro de 2019 | 00h24

O Fluminense foi derrotado pelo Ceará, nesta quarta-feira, e se complicou na briga contra o rebaixamento pelo Campeonato Brasileiro. Após a derrota, por 2 a 0, no Castelão, em Fortaleza, pela 29.ª rodada, o goleiro Muriel pediu mais coragem aos cariocas.

"O primeiro tempo foi do Ceará, mas o segundo foi todo nosso e nós poderíamos ter marcado, porque criamos muitas chances. Não podemos ficar lamentando a derrota. É ter mais luta e mais coragem. Tenho certeza que vamos resistir e superar isso", disse, referindo-se à ameaça, cada vez mais próxima, de rebaixamento.

O time carioca, por sinal, poderá fechar a rodada na zona do descenso. A equipe do técnico Marcão parou na 16.ª colocação com 30 pontos, apenas um a mais do que o Cruzeiro, que jogará nesta quinta-feira contra o Botafogo, no Engenhão.

O zagueiro Nino, após a partida, lamentou as chances desperdiçadas pelo Fluminense e focou na recuperação e no trabalho do dia a dia para tirar o clube desta situação. "Difícil explicar. Única coisa que nos resta é trabalhar, para que essa bola comece a entrar. A gente se esforça, tem tentado colocar em prática aquilo que temos trabalhado, mas, infelizmente, a bola não tem entrado".

O meia Nenê até admitiu que os erros de passes atrapalharam o desenvolvimento do jogo ofensivo do time carioca no primeiro tempo, porém, se defendeu e também fez o mesmo ao companheiro Paulo Henrique Ganso. Os dois, em tese, são os responsáveis pelas jogadas ofensivas. "Somos nós dois que mais tentamos as jogadas. Tem outras coisas que atrapalham. Não podemos tomar um gol assim de novo. É preciso entrar ligado e manter a concentração até o fim do jogo", comentou Nenê.

No lance do primeiro gol, o meia Ricardinho fez um lançamento longo, do meio de campo, pegando a defesa aberta. Bergson dominou a bola em velocidade, e depois de dar uma ajeitada na coxa direita, bateu rasteiro por baixo de Muriel, que também ficou indeciso no lance. O goleiro chegou a deixar o gol, mas depois voltou para tentar a defesa. O segundo gol foi marcado por Mateus Gonçalves aos 46 minutos do segundo tempo em jogada de Bergson, em um contra-ataque.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.