Museu Pelé pode sair do papel

Ponto de honra das quatro últimas administrações municipais santistas, o Museu Pelé, uma homenagem ao jogador que ajudou a projetar a cidade de Santos mundialmente, tem tudo para sair do papel. Nesta sexta-feira, a prefeitura promete tornar público o edital de construção do museu, a ser erguido na plataforma do emissário submarino, na Praia do José Menino. Parte do dinheiro para a obra, orçada em R$ 9 milhões, já foi prometida pelo Governo do Estado, por intermédio do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias (Dade), que deverá disponibilizar R$ 4 milhões. A administração municipal deverá bancar o restante, incluindo uma intervenção no entorno do museu, beneficiando todo o bairro do José Menino. De acordo com o arquiteto Ney Caldato, autor do projeto que pretende homenagear o Atleta do Século, o prédio será erguido sobre uma base de concreto e será todo envidraçado, de forma a permitir a visualização de dentro ou de fora. Toda a trajetória do maior jogador do mundo, a exemplo da exposição A Arte do Rei, exibida parcialmente no Museu de Arte de São Paulo (Masp) poderá ser vista no novo espaço cultural, que está sendo aguardado com uma certa ansiedade pela população santista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.