Divulgação
Divulgação

Música de raiz é escolhida para inspirar a 'zebra' Panamá

Grupo folclórico se apresenta na concentração da equipe

Almir Leite e Gonçalo Junior, Enviados especiais a Denver

29 de maio de 2016 | 07h01

O Panamá vai buscar em suas raízes musicais a inspiração para tentar ser a surpresa do Grupo D da Copa América, formado por Argentina, Bolívia, Chile. O grupo folclórico Recuerdos de Mi Panamá, um dos mais famosos do país, foi convidado pela Federação Panamenha de Futebol para fazer algumas apresentações na concentração da equipe em Orlando. 

O objetivo é descontrair o grupo de jogadores com as canções populares e muita dança folclórica da América Central. Nas apresentações, as dançarinas usam vestidos longos e coloridos e os homens usam chapéus de abas largas e trajes típicos. O grupo costuma realizar várias apresentações nos Estados Unidos. “Vamos amenizar a estadia em Orlando com as canções de Recuerdos de Mi Panamá”, publicou a federação nas redes sociais. 

A programação de apresentações ainda não está totalmente definida, mas a primeira deve ocorrer ainda esta semana. A equipe panamenha estreia dia 6 contra a Bolívia. 

A música de raíz será bem-vinda para os panamenhos. Embora o time seja experiente, o mais velho da Copa América, com jogadores que formaram a base das duas últimas Eliminatórias, o grupo é muito difícil, com Argentina e o Chile, atual campeão. Nas Eliminatórias, a equipe está em segundo lugar do Grupo B, três pontos atrás da Copa Rica. Em quatro partidas, o time ganhou duas, empatou uma e perdeu outra. 

Às vésperas da Copa América, o Panamá perdeu o atacante Ismael Díaz, uma das grandes promessas da equipe. O atleta de 19 anos, que atua na segunda divisão portuguesa pelo Porto B, sofreu uma torção no joelho esquerdo e não vai se recuperar a tempo de atuar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.