Mustafá abre o cofre e garante Jardel

Foram necessários três jogos para que o presidente Mustafá Contursi concluísse que o Palmeiras precisa de reforços. O primeiro deles é o atacante Jardel, que retorna ao País na segunda-feira para resolver os ?últimos detalhes?. A contratação só não foi oficializada por detalhe burocrático: o clube aguarda o atestado liberatório do Bolton. A viagem do jogador à Inglaterra foi justamente para buscar o documento. Na véspera do clássico diante do Corinthians, domingo, no Morumbi, a contratação de Jardel serviria para ?apagar incêndio? no clube, depois dos últimos resultados. Encobriria erros e o porquê de a equipe ainda não ter vencido no Campeonato Brasileiro. Seria também uma forma de manter o casamento entre a torcida e o Palmeiras, abalado pelos seguidos tropeços, principalmente a eliminação no Campeonato Paulista. Mas a tensão começa a atingir a todos no clube. Depois do empate por 2 a 2 com o Vitória, quinta-feira no Palestra Itália, Mustafá ligou no celular do técnico Jair Picerni, ainda no vestiário do estádio, para saber o motivo de futebol tão deficitário. Mustafá queria saber, da boca do treinador, por que a equipe não consegue repetir as apresentações de 2003. ?Conversamos sobre futebol, mas ele não me disse nada de reforços?, enfatiza Picerni. ?É algo normal. Estas atitudes fazem parte do presidente.? O assunto, porém, deixa o treinador em uma saia-justa. Ele tenta disfarçar, as vezes gagueja. Diz não estar pressionado, depois afirma que a pressão sempre existe. Após o empate com o Vitória chegou a dizer não se preocupar com o cargo. ?Não estou nem aí.? A verdade é que Mustafá, o manda-chuva no Departamento de Futebol do clube, exige a vitória diante do Corinthians. Quer ver o time apresentando um grande futebol. Não admite olhar a classificação e ver o Palmeiras com apenas 2 pontos. Queria, no mínimo seis. Como diz o ditado, ?para bom entendedor, meia palavra basta?, Picerni já faz prognósticos na linha exigida por Mustafá. ?Não fazemos grande partidaa muito tempo, vamos arriscar, jogar melhor e dar espetáculo?, promete. ?É nosso jogo do ano.? Basta saber se o dito se confirma no campo. Até agora, as previsões do treinador falharam. Prega a pegada e o time da espaços, garante futebol ofensivo e o time pouco cria. Até onde vai errar... ?Não trabalho com opostos,? ostenta Picerni. Desfalque ? Leonardo não enfrenta o Corinthians. O zagueiro fez exame nesta sexta-feira, no qual foi constatado lesão na coxa direita. Glauber joga. A escalação de Magrão dependerá do treino deste sábado e Baiano pode perder a vaga para Daniel Martins.

Agencia Estado,

30 de abril de 2004 | 19h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.