Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Mustafá Contursi consegue vitória na Justiça em processo contra dono da Crefisa

Em briga sem ligação com o Palmeiras, os dois divergem sobre natureza de um repasse de R$ 430 mil

Redação, O Estado de S. Paulo

19 de julho de 2019 | 15h52

O ex-presidente do Palmeiras, Mustafá Contursi, conseguiu na Justiça uma vitória sobre o antigo aliado e atuais desafeto de clube José Roberto Lamacchia, conselheiro e dono da Crefisa, patrocinadora da equipe. A 32ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) anulou na última quinta-feira a cobrança do valor de R$ 430 mil movida por Lamacchia.

Contursi, que preside o Sindicato Nacional das Associações de Futebol Profissional e Suas Entidades Estaduais de Administração e Ligas (Sindafebol), questionava a cobrança do valor ao justificar que o repasse do montante não foi um empréstimo, mas sim uma doação. O TJ-SP deu ganho de causa a Contursi. A decisão ainda cabe recurso.

O advogado do Sindafebol, Aílton Soares de Oliveira, sócio do escritório A. Soares Oliveira e Ponciano Advogados, afirma que a mulher de Lamacchia, Leila Pereira, confirmou por e-mail ter feito uma doação. "O Sindicato tem sua arrecadação e despesas submetidas ao Conselho Fiscal, sendo impossível que o representante legal recebesse empréstimo ou acordasse restituição de valores sem qualquer instrumento particular, e, ainda, sem assinatura conjunta do Diretor Financeiro ou Tesoureiro. É impossível acreditar que caso fosse empréstimo, Lamacchia como banqueiro não fizesse contrato", explicou Soares. 

O repasse do dinheiro foi em 2017, quando Contursi e o casal dono da Crefisa ainda mantinham boa relação. No mesmo ano os dois viraram rivais dentro da política do Palmeiras. O rompimento foi depois de Contursi ser acusado de vender para cambistas os ingressos dados pela Crefisa para ele. A investigação sobre o caso é alvo de investigação do Ministério Público.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.