Mustafá faz visita rápida ao elenco

A passagem do presidente Mustafá Contursi por Águas de Lindóia não durou mais que três horas. Foi tão rápida que surpreendeu até a assessoria de imprensa do Palmeiras, que havia marcado com os jornalistas uma entrevista com o homem forte do clube. Como Mustafá se antecipou em seu retorno a São Paulo, coube ao assessor Olivério Júnior explicar os motivos da viagem."O Mustafá veio aqui para discutir o planejamento para a temporada, que será longa. Afinal, estão previstas quase 70 partidas pelo Campeonato Paulista, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro", disse o assessor.De prático, o presidente conversou com o técnico Jair Picerni para reforçar a idéia de que está muito difícil fazer contratações. Após as tentativas fracassadas para se trazer os atacantes Adriano Chuva e Mota, o time que deverá estrear no Paulistão deve ser o mesmo que ganhou a Série B do ano passado. A única cara nova é o zagueiro Nen, que veio do Gama."Ele ficou menos de três horas no hotel e esteve em companhia do Afonso Della Mônica (primeiro vice-presidente do clube). Disse que gostaria de trazer pelo menos dois reforços, mas que só iria negociar quando aparecesse um nome que se adequasse ao perfil pretendido pelo técnico Jair Picerni", comentou um jogador.O lateral-esquerdo Marquinhos deixou o treinamento mais cedo, reclamando de dores na região glútea. Mas, segundo o médico Maurício Bezerra, não deverá ser problema para o amistoso de domingo, contra o Comercial, em Ribeirão Preto. Já o goleiro Sérgio submeteu-se nesta quinta-feira a uma artroscopia no joelho esquerdo, devido a uma lesão de menisco, e só poderá retornar aos treinamentos dentro de seis semanas. E o volante Claudecir, que rescindiu seu contrato com o Kashima Antlers,do Japão, pode ver seu sonho de voltar ao Palmeiras frustrado. Mustafá negou que esteja negociando com o jogador.

Agencia Estado,

15 de janeiro de 2004 | 19h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.