Mustafá não quer renovar com Baiano

O presidente do Palmeiras, Mustafá Contursi, entrou hoje na briga entre a diretoria e representantes do lateral Baiano, que divergem nos índices de aumento propostos de parte a parte para renovação de contrato. O jogador disse que o clube ofereceu apenas manter o salário deste ano (sem nenhum aumento), o que não considera justo. O diretor de Futebol, Mário Giannini, afirma que a proposta do jogador é de 45% enquanto o clube oferece 10%. Baiano rebateu afirmando que, se a proposta fosse essa, já teria renovado. Mustafá esbravejou ao falar de Baiano, afirmando que não gosta de jogador que se põe no papel de não valorizado pelo clube. "Ele ganha R$ 55 mil e não R$ 15 como andam afirmando. Vai receber o salário deste mês, mas o contrato não será renovado." O jogador vai esperar que o clube reveja a posição até o dia 21. Depois, analisará propostas. No caso de Elson e Lúcio, as negociações serão realizadas esta semana e o dono dos direitos federativos dos jogadores e dirigente do Ituano, Oliveira Júnior, não quer prorrogar empréstimo. "Já fizemos isso com estes jogadores por duas temporadas. Nosso objetivo agora é vender pelo menos parte dos direitos federativos ao Palmeiras, 50%." Oliveira Júnior acredita que não terá dificuldades para conseguir o que quer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.