Mustafá negocia retorno de Edmundo

O presidente do Palmeiras, Mustafá Contursi, está negociando o retorno de Edmundo ao Parque Antártica. O atacante, de 31 anos, tem contrato até o fim de janeiro de 2004 com o Urawa Reds, do Japão, mas já avisou que aceita reduzir seu salário para voltar ao Brasil. As conversas entre o dirigente e representantes do jogador começaram em dezembro, dias após o time ter sido rebaixado para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro. O negócio ainda não foi fechado porque existe um impasse em relação à duração do contrato. Enquanto o jogador deseja permanecer por cinco temporadas no Parque Antártica, Mustafá só admite assinar por três. O presidente já aceitou até abrir os cofres para repatriar o atacante, que defendeu o Palmeiras entre 1993 e 1995 e ganhou os títulos paulistas de 1993 e 94, os brasileiros de 1993 e 94 e o Rio-São Paulo de 1993. Está oferecendo um salário mensal de R$ 150 mil livres de impostos, bem menos do que os US$ 160 mil que embolsa no Japão a cada 30 dias. No entanto, Edmundo exige pelo menos R$ 200 mil do Palmeiras, descontado o Imposto de Renda. ?Oficialmente não há nada fechado?, despista Wellington Correia, o Helinho, procurador de Edmundo. ?Mas admito que algumas pessoas ligadas a nós estão conversando com o Palmeiras. Por enquanto, o Edmundo tem contrato e está trabalhando no Japão. Está feliz por lá.? Helinho admite também que uma redução salarial poderia ser definida durante a negociação. ?Não tive acesso aos números, mas o Edmundo tem que receber de acordo com seu valor.? Nos bastidores, Mustafá conta com o apoio irrestrito dos líderes da Mancha Verde para que possa anunciar o reforço. O problema é que o jogador, que em dezembro ligou para a sede da torcida organizada se oferecendo para jogar no Palmeiras por R$ 60 mil mensais, mudou de idéia e aumentou consideravelmente sua pedida. ?R$ 200 mil livres ao Edmundo por mês representariam R$ 430 mil para o clube. É um valor inviável. O problema é que ele fala uma coisa para a torcida e outra na mesa de negociação?, reclama um dirigente do clube. Nos planos da diretoria, caso a vinda de Edmundo seja definida, o jogador desembarcaria de helicóptero na Academia de Futebol vestindo um boné da Mancha Verde. ?A diretoria não me passou nada neste sentido. Não quero nem falar sobre isso?, afirma o técnico Jair Picerni. Enquanto não resolve o negócio, a diretoria continua tentando a contratação de outros jogadores. As conversas com o Atlético Paranaense avançaram e o volante Cocito e o meia Adriano, pedidos por Picerni, podem chegar a qualquer momento. O zagueiro Tiago e o meia Igor, do Rio Branco, ainda interessam. O clube de Americana deve responder nos próximos dias se aceita receber o pagamento pelos dois atletas em quatro parcelas. Dininho, do São Caetano, que estava bem cotado no início do ano, pode vir para o Parque Antártica juntamente com seu companheiro de zaga Daniel. A negociação entre os clubes já começou, e o Palmeiras colocou o atacante Muñoz como moeda de troca. Washington, no Fenerbahce da Turquia, e Anaílson e Adhemar, do São Caetano, também agradam ao treinador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.