Mustafá sai da toca e resolve falar

Ignorando as manifestações dos torcedores que pedem desesperadamente pela sua renúncia, o presidente do Palmeiras Mustafá Contursi iniciou no final de semana um trabalho particular de recuperação da própria imagem. Após o empate contra o Brasiliense, visitou uma por uma todas as cabines das emissoras de rádio de São Paulo que transmitiram a partida para falar de seus planos. Em seguida, atendeu pacientemente a todos os repórteres de jornal. Mustafá Contursi deixou claro que não vai investir muito em contratações e admitiu que será difícil segurar o volante Magrão, que interessa à Udinese da Itália, e o goleiro Marcos, que recebeu uma proposta do Werder Bremen da Alemanha e está sendo sondado diariamente por dirigentes do Cruzeiro. "Jogadores caros não significam necessariamente que sejam um bom investimento. O Palmeiras irá trazer mais dois atletas que se enquadrem dentro da necessidade. Essa história de política pés no chão só existe na cabeça da imprensa", afirmou.O zagueiro Daniel, do São Caetano, já acertou as bases financeiras e deve ser apresentado esta semana. Os atacantes Somália, que está no futebol do Kuwait, e Fred, do América Mineiro, estão conversando com Mustafá e pelo menos um deles pode chegar.O presidente assumiu a responsabilidade pelas dispensas ocorridas após a partida de quarta-feira contra o Vitória. Índio, Neném, Gustavo, Carlos Castro e Everaldo não fazem parte dos planos. O zagueiro Denis, que só atuou em Brasília por falta de opções, também deverá sair, assim como Pedrinho, que está contundido e só terá condições de voltar a treinar em um mês. "Tomei essa medida para preservar os atletas, que estavam sendo muito cobrados pela torcida. De resto, garanto que estou levando uma vida normal apesar das ameaças que recebo. Se levasse a sério todas, nem sairia de casa. Essas manifestações partem de grupos organizados que não representam a vontade da maioria e usam a violência para prejudicar quem realmente quer trabalhar pelo clube. Não vou deixar que uma entidade grande como a nossa, com um quadro associativo valioso, esteja à mercê dessas pessoas".Mustafá só resolveu mudar de estratégia em relação ao contato com a imprensa após ouvir amigos particulares. A fama de omisso estava incomodando demais e prejudicando ainda mais sua desgastada imagem. Na saída do estádio Serejão, sábado, chegou até a ser aplaudido por alguns torcedores. "Mas essa medida não vai durar muito tempo. Basta o time voltar a jogar bem e vencer que me recolherei. Quem tem que aparecer são os jogadores e não eu.?Segundo o presidente, a redução dos custos operacionais em relação ao futebol já era esperada há alguns anos. "A previsão de rendas é cada vez menor. Por isso, não adianta fazer loucuras. De que adianta eu trazer jogadores caros e não poder pagá-los no final do mês. Por isso prefiro trabalhar assim. Nossa equipe é boa, tem condições de subir para a primeira divisão."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.