Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Na 1ª declaração após demissão, Aguirre celebra vaga do São Paulo na Libertadores

Por meio das suas redes sociais, técnico destacou que a equipe conquistou resultados expressivos de forma inesperada e avaliou o trabalho como positivo

Estadão Conteúdo

19 de novembro de 2018 | 14h06

O técnico Diego Aguirre se pronunciou pela primeira vez sobre sua demissão do São Paulo, após o empate em 1 a 1 com o Corinthians, pela 33.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em suas redes sociais, o uruguaio, que foi substituído pelo auxiliar André Jardine, disse que a equipe conquistou resultados expressivos de forma inesperada no começo da competição e avaliou o trabalho como positivo.

Para o ex-técnico são-paulino, a vaga para a fase preliminar da Libertadores, garantida no último domingo com a vitória por 1 a 0 sobre o Cruzeiro, é prova de que o objetivo foi alcançado. Atual quinto colocado, o time paulista briga agora com o Grêmio pela quarta posição, que dá um lugar direto no torneio sul-americano.

"Defendendo essa equipe, vivemos grandes momentos e chegamos a um patamar que ninguém esperava quando a temporada se iniciou. Porém, termos alcançado o auge de nossas possibilidades criou uma realidade que impressionou a todos", escreveu o treinador em sua conta oficial do Instagram. "Me despeço do São Paulo com o sentimento de que entregamos todo o possível, e a vaga na próxima Libertadores é a prova de que o objetivo foi alcançado", continuou.

Aguirre também atuou pelo São Paulo como jogador, no início dos anos 90. O uruguaio afirmou que defendeu a camisa são-paulina "com orgulho e vontade como atleta e treinador" e agradeceu aos atletas, "que deram o máximo em cada minuto em campo", e à torcida, que, "nos bons e maus momentos, não deixou de nos apoiar".

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Na última semana, pensei no que dizer como uma forma de me despedir do São Paulo, camisa que defendi com orgulho e vontade como atleta e treinador. Defendendo essa equipe vivemos grandes momentos e chegamos a um patamar que ninguém esperava quando a temporada se iniciou. Porém, termos alcançado o auge de nossas possiblidades criou uma realidade que impressionou a todos. Me despeço do São Paulo com o sentimento de que entregamos todo o possível, e a vaga na próxima Libertadores é a prova de que o objetivo foi alcançado. Deixo meu agradecimento e carinho aos meus atletas, que deram o máximo em cada minuto em campo, e à torcida são-paulina que, nos bons e maus momentos, não deixou de nos apoiar.

Uma publicação compartilhada por Diego Aguirre (@oficialdiegoaguirre) em

No comando do São Paulo, Aguirre teve, de fato, um início impressionante de trabalho, visto que a equipe paulista engatou uma série de vitórias e terminou o primeiro turno do torneio na liderança. O time, porém, passou a oscilar e Aguirre, sem mais o comando do vestiário - Nenê se mostrou insatisfeito com a reserva -, foi demitido a cinco rodadas do final.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.