NILTON FUKUDA/ESTADÃO
NILTON FUKUDA/ESTADÃO

Na 30ª partida do ano, Palmeiras joga ainda em busca do seu armador ideal

Apatia de Lucas Lima em jogos decisivos e lesões de possíveis substitutos criam lacuna no elenco mais badalado do País; Guerra terá nova chance

Renan Cacioli, O Estado de S. Paulo

16 Maio 2018 | 11h00

O elenco mais badalado do Brasil tem um grande problema e justamente no setor mais estratégico da equipe. Ainda em busca de seu armador ideal, o Palmeiras encara o Junior Barranquilla nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Allianz Parque, pela última rodada da fase de grupos da Libertadores.

+ Críticas ao 'Paulistinha' rendem 45 dias de gancho a presidente do Palmeiras

+ Opinião: Palmeiras precisa exorcizar seus problemas internos para ganhar alguma coisa neste ano

+ Confira a tabela da Libertadores

Aposta da diretoria na temporada para fazer a engrenagem alviverde funcionar da forma mais azeitada possível, Lucas Lima será poupado pelo técnico Roger Machado, que deverá escalar uma formação mista. A bola da vez será o venezuelano Guerra.

Há duas questões envolvidas nesta substituição. A primeira diz respeito a quem segue devendo futebol. Trazido do Santos, o titular da armação alviverde foi a peça mais testada na função: participou de 26 das 29 apresentações palmeirenses em 2018. Mas sua ausência nesta noite não deixará saudade.

Se o início parecia promissor com o gol marcado logo na estreia, diante do Santo André, a sequência foi frustrante e já provocou até vaias em algumas partidas na arena. Além de estar aquém do que demonstrou nos bons tempos na Vila Belmiro, Lucas Lima tem sumido especialmente dos jogos decisivos, como o clássico contra o Corinthians, no último domingo, quando acabou substituído justamente por Guerra. E é aí que entra a segunda questão.

As sombras ao camisa 20 são grandes o suficiente para incomodá-lo. Porém, vêm levando azar justamente no momento em que parecem próximas de ofuscá-lo de vez.

O próprio Guerra, que participou de 14 jogos no ano, vinha em ascensão no elenco até sofrer uma lesão no quadril em disputa de bola com Michel Bastos durante um treino. Ficou cinco jogos afastado e voltou a ser relacionado apenas diante do América-MG, na semana passada.

"Eu também faço a mesma pergunta: por que quando estou bem eu me machuco ou acontece algo? É azar, é futebol. É assim. Você não quer se machucar. Tenho de aceitar, porque isso passa por alguma coisa", filosofou o camisa 18, na última terça.

Quem também esteve perto de ganhar a posição no time foi Moisés, opção de Roger em 17 ocasiões, sendo a última contra o Atlético-PR, há dez dias, quando começou na formação titular. Durou sete minutos em campo. Sofreu um estiramente muscular na coxa esquerda e só deve voltar aos campos depois da Copa do Mundo da Rússia.

Uma terceira via seria Hyoran, meia que o Palmeiras trouxe da Chapecoense no ano passado, mas jogou pouco até aqui – seis vezes em 2017 e três neste ano. Porém, o jovem de 24 anos não parece ainda, até pela pouca experiência, ser exatamente a melhor opção para comandar o estrelado elenco palmeirense.

Assim, Lucas Lima vai ficando. E a paciência do torcedor com a equipe, diminuindo. Passado quase um semestre, o relógio será cada vez mais implacável para o Palmeiras.

FICHA TÉCNICA 

Palmeiras x Junior Barranquilla

Palmeiras: Jailson; Mayke, Luan, Thiago Martins e Victor Luis; Thiago Santos (Felipe Melo), Tchê Tchê e Guerra; Dudu, Hyoran (Deyverson) e Willian. Técnico: Roger Machado.

Junior Barranquilla: Sebastián Viera; Marlon Piedrahíta, Jonathan Ávila, Rafael Pérez e Jorge Arias (David Murillo); Sebastián Hernández (Luis Carlos Ruíz), Leonardo Pico, Víctor Cantillo e Yony González; Yimmi Chará e Teo Gutiérrez. Técnico: Julio Comesaña.

Juiz: Enrique Cáceres (PAR).

TV: Globo e SporTV.

Local: Allianz Parque.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.