Sergio Perez/Reuters
Sergio Perez/Reuters

Na Arábia, Real Madrid bate o Valencia e avança à final da Supercopa da Espanha

Equipe merengue espera pelo vencedor do confronto entre Barcelona x Atlético de Madrid

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de janeiro de 2020 | 18h20

Em um novo formato, mais uma vez fora da Espanha - desta vez na Arábia Saudita -, a Supercopa da Espanha conheceu nesta quarta-feira o seu primeiro finalista. É o Real Madrid, que derrotou o Valencia por 3 a 1, no estádio King Abdullah Sports City, na cidade de Jeddah, e avançou para a decisão, que acontece neste domingo. Veja onde assistir Barcelona x Atlético de Madrid, que fazem a outra semifinal.

Por mais dinheiro, assim como aconteceu no ano passado, quando Barcelona e Sevilla disputaram a taça em Tânger, no Marrocos, a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF, na sigla em espanhol) levou a edição desta temporada da Supercopa para o Oriente Médio. E resolveu aumentar o número de participantes para quarto, com duas semifinais e final. O técnico do Barça, Ernesto Valverde, chegou a comentar sobre a questão financeira nesta quarta-feira.

Sem ganhar nada na temporada passada, o Real Madrid entrou como um dos melhores ranqueados pela federação espanhola e aproveitou muito bem a oportunidade dada. Com maior volume de jogo e bom toque de bola, o time comandado pelo técnico francês Zinedine Zidane envolveu o Valencia com facilidade e obteve a vitória sem ser ameaçado.

Antes mesmo de marcar o primeiro gol, aos 15 minutos, o Real Madrid já havia levado perigo à meta do Valencia por três vezes. Para abrir o placar, em um lance de escanteio despretensioso pela esquerda, o alemão Toni Kroos mostrou inteligência e rapidez ao perceber que o goleiro Jaume Domenech ficou conversando com sua zaga na linha da pequena área. Fez a cobrança fechada na primeira trave e saiu para comemorar o gol olímpico depois que o arqueiro, surpreendido, tentou tirar a bola sem sucesso.

Mesmo com a vantagem no placar, a pressão do Real Madrid continuou e outras chances de gol foram criadas até sair o segundo, aos 39 minutos. Isco foi oportunista no rebote da zaga do Valencia e acertou um belo chute rasteiro de dentro da área no canto direito de Domenech.

Na segunda etapa, o time de Madri manteve a postura ofensiva e foi premiado com o terceiro gol, aos 20 minutos. Em uma bela jogada de Isco, o meia tocou para Jovic, que ajeitou para Modric. O croata dominou a bola dentro da área, pedalou e chutou de trivela para fazer um bonito gol.

No final da partida, já nos acréscimos, Sergio Ramos colocou a mão na bola, o VAR interveio e marcou um pênalti para o Valencia. Parejo bateu com categoria e deu números finais ao duelo em 3 a 1 para o Real Madrid.

Os brasileiros Rodrygo e Vinicius Junior ficaram como opções no banco de reservas. O único do País como suplente que entrou durante a partida foi o lateral-esquerdo Marcelo, que estava voltando de lesão e ganhou alguns minutos de jogo para recuperar a sua forma física.

Tudo o que sabemos sobre:
Real Madrid Club de Futbolfutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.