Ciro Fusco / EFE
Ciro Fusco / EFE

Na cidade onde Maradona é deus, Barcelona confia em Messi para superar Napoli

Liga dos Campeões também tem Chelsea x Bayern de Munique reeditando a final de 2012 nesta terça

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2020 | 04h32

Na cidade onde Diego Maradona é tratado como um "deus", Lionel Messi vai se apresentar após o seu melhor momento na temporada 2019/2020. Nesta quarta-feira, a partir das 17 horas (de Brasília), o Barcelona vai visitar o Napoli, no estádio San Paolo, confiando em seu craque argentino no jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa.

Ainda que o Barcelona seja o líder do Campeonato Espanhol, o time já passou por várias turbulências dentro de campo nesta temporada, o que provocou a mudança de técnico no clube, em decisão que motivou troca de "farpas" públicas entre Abidal, hoje dirigente, e Messi, en um confronto entre a comissão técnica e a diretoria. E a gestão do presidente Josep Bartomeu vem sendo alvo de muitas críticas.

Dentro de campo, porém, os resultados vêm sendo bons nas semanas recentes. O Barcelona venceu as últimas quatro partidas que disputou no Campeonato Espanhol. E Messi marcou quatro vezes na última delas, na goleada por 5 a 0 sobre o Eibar, no sábado, no Camp Nou.

Agora, porém, jogará em um estádio onde outro argentino é muito mais idolatrado, afinal, em Nápoles não há comparação entre Messi e Maradona. "No momento, Messi é o melhor jogador do mundo", disse Lorenzo Insigne, atacante do Napoli. "Mas não existem comparações para nós, porque para nós, napolitanos, Maradona é sagrado. Sem tirar nada de Messi, que continua sendo um grande campeão."

Depois de deixar o Barcelona, Maradona levou o Napoli aos seus únicos títulos italianos, em 1987 e 1990. Ele também ajudou o clube a vencer a Copa da Uefa - a atual Liga Europa - de 1989.

"Eu queria ir ao estádio há muito tempo, mas nunca tivemos a chance. Finalmente, chegou o momento e estou muito animado para ver como é, mesmo que seja diferente agora", disse Messi, recentemente. "Eu sei que os napolitanos são loucos por futebol. Eu tive companheiros de equipe que jogaram lá", acrescentou.

Assim como o Barcelona, que trocou Ernesto Valverde por Quique Setien, o Napoli também mudou de treinador após a fase de grupos da Liga dos Campeões, com Gennaro Gattuso substituindo Carlo Ancelotti. Será portanto a estreia de ambos como treinador na competição, sendo que o comandante do Milan havia enfrentado Messi antes, mas como volante do Milan.

"O que Messi faz é algo que só vejo no PlayStation quando brinco com meu filho. Ele é um campeão, com estatísticas que nunca vão ser repetidas e que também é um exemplo para as crianças pela maneira como ele conduziu sua carreira. Ele faz coisas inimagináveis há anos, a única diferença é que hoje ele tem barba, mas continua sendo o melhor do mundo", elogiou o treinador do Napoli, que ganhou as últimas três partidas que disputou.

No outro jogo do dia, Chelsea e Bayern de Munique revivem, em Londres, a final de 2012 da Liga dos Campeões, vencida pelo time londrino, mas em um cenário bem diferente e com os clubes em momentos praticamente opostos nesta temporada.

Quarto colocado do Campeonato Inglês, o Chelsea tem oscilado bastante, apesar de vencido o Tottenham no último fim de semana, tanto que o técnico Frank Lampard ainda não encontrou a formação ideal. Já o Bayern, embora tenha sofrido para derrotar o Paderborn em seu último compromisso, ganhou cinco das últimas seis partidas sob o comando de Hansi Flick. E tentará ampliar esse bom momento nesta terça, no Stamford Bridge.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.