Rubens Chiri/ Sãopaulo.net
Rubens Chiri/ Sãopaulo.net

Na Colômbia, São Paulo aposta em preparo psicológico para buscar virada

'A gente não pode deixar de acreditar do primeiro minuto ao minuto final', afirmou o volante Hudson

Ciro Campos, Estadão Conteúdo

11 de julho de 2016 | 15h32

O São Paulo já está em Medellín, no Noroeste da Colômbia, para a tarefa mais complicada da temporada até agora. O time chegou de madrugada à cidade na qual enfrentará o Atlético Nacional, na quarta-feira, pela Copa Libertadores, com a necessidade de ganhar por três gols de diferença para ir à final da Libertadores. E o elenco contou na chegada ter passado por um preparo psicológico para ter confiança.

"O mais importante foi o trabalho psicológico feito para esse jogo. A gente não pode deixar de acreditar do primeiro minuto ao minuto final. Temos que ser aquela equipe que nunca deixa de lutar", afirmou o volante Hudson na chegada do time à concentração. O elenco deixou a capital paulista na noite de domingo em voo fretado e direto para Medellín, para amenizar possíveis desgastes com escalas.

A derrota por 2 a 0 no Morumbi, na última quarta-feira, deixou o time em grande desvantagem e sob a obrigação de ganhar fora de casa do dono da melhor campanha da Libertadores.

"Agora vamos precisar buscar praticamente uma partida perfeita para levar a classificação ao Brasil. O Atlético vai ter uma postura para tentar vencer. Para a gente resta tentar superar isso", comentou o volante, que chegou a ser o capitão do time em algumas partidas do torneio.

Na Colômbia o São Paulo faz o primeiro treino nesta segunda-feira, às 21 horas (horário do Brasília), no estádio Atanasio Girardot, local da partida. Na terça o time volta a trabalhar, ainda em local indefinido. O técnico Edgardo Bauza ainda não definiu a formação titular.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.