Ricardo Saibun/Divulgação
Ricardo Saibun/Divulgação

Na 'despedida' de Robinho, Sport empata com Santos no fim

Torcida lota Vila Belmiro e vaia empate da equipe em casa

Glauco de Pierri, O Estado de S. Paulo

31 de maio de 2015 | 13h04

Domingo de manhã, ingresso mais barato, Vila Belmiro cheia, a indefinição em relação ao futuro de Robinho, que poderia fazer seu último jogo com a camisa do Santos, e o Sport liderando o Campeonato Brasileiro. Todos esses ingredientes apontavam já, antes mesmo de a bola rolar, que o jogo tinha tudo para ser bem disputado. No final, o ótimo 2 a 2 premiou as duas equipes, que sempre buscaram o gol. Com o resultado, o Santos chegou aos 5 pontos e o Sport foi a 8 e segue invicto no torneio. Agora, o Peixe terá de se virar sem Robinho, que amanhã se apresenta à seleção brasileira para a disputa da Copa América.

O Santos começou a partida pressionando o Sport. Com boas trocas de bolas, o time chegava com força e sufocava a defesa pernambucana, que precisou se virar para evitar levar um gol antes dos 15 minutos. Com ótima participação de seus dois laterais, o Peixe pecava sempre no último lance, na hora da finalização. A principal chance do time no começo do jogo foi de Robinho. Aos 8 minutos, ele recebeu de Lucas Lima, dominou a bola, fingiu que ia chutar e tirou Durval da jogada, mas na hora da finalização bateu para fora.

É verdade que o rubro-negro, muito bem treinado por Eduardo Batista, também poderia ter feito seu gol no começo do jogo. Aos quatro minutos, o estreante Maikon Leite apareceu em velocidade pelo lado direito do ataque, entrou na área e bateu firme, no canto direito de Vladimir, que fez ótima defesa.

Depois, o Sport passou a buscar um pouco as jogadas de ataque. Com o garoto Neto articulando os principais lances, o time ao menos deu um pouco de respiro para a defesa e poderia ter chegado ao gol com Wendel, que cabeceou a bola raspando na trave esquerda do goleiro santista.

Após a metade da primeira etapa, o Santos cadenciou um pouco o jogo. Lucas Lima quase marcou um gol ao tentar cruzar a bola na área - a bola quase encobriu o goleiro Danilo Fernandes. O Sport marcava mais atrás da linha da bola e o Peixe passou a usar ainda mais os lançamentos de Lucas Lima para tentar surpreender o adversário. Ricardo Oliveira teve boa chance, mas se enrolou na hora da finalização.

Quando a partida já caminhava para o fim do primeiro tempo, o experiente Renato recebeu bom passe em profundidade na direita do campo e cruzou na medida para Robinho, livre, em uma das poucas falhas da zaga pernambucana nos primeiros 45 minutos. Ele testou firme para excelente defesa de Danilo Fernandes. No rebote, o atacante Ricardo Oliveira, em posição de impedimento não assinalada pelo bandeira, cabeceou na trave. A bola sobrou para Robinho de novo, que com um sem pulo estufou as redes do Sport e abriu o placar.

No segundo tempo o Sport voltou com duas modificações e mais ofensivo. Com Diego Souza no time, a equipe buscava mais o toque de bola objetivo. Logo no começo, aos cinco minutos, Lucas Lima perdeu a bola na intermediária de seu campo de defesa. Rithely dominou, avançou e deu lindo passe para Joelinton, que com calma tocou firme no canto esquerdo de Vladimir para empatar o jogo.

O gol surpreendeu o Santos, que demorou um tempo para se realinhar em campo. O time não conseguia mais render no ataque e o auxiliar-técnico Serginho Chulapa (o técnico Marcelo Fernandes está suspenso) resolveu mexer no ataque e trocou Geuvânio por Gabriel.

Gabigol voltou a dar velocidade ao ataque santista. Em seu primeiro lance, cruzou rasteiro para Ricardo Oliveira, que foi travado na hora do chute. O Sport era perigoso nos contra-ataques, mas o ímpeto do Peixe era maior. Quando a torcida já começava a dar sinais de impaciência, o time conseguiu o segundo gol. Aos 26 da segunda etapa, Lucas Lima bateu escanteio com muita qualidade e o zagueiro Werley se antecipou à marcação e cabeceou sem chances para o goleiro Danilo Fernandes.

Mesmo com a vantagem, o Santos tentava continuar em cima do Sport, que era perigoso quando articulava suas jogadas com calma. Em uma falta pelo lado esquerdo do ataque, Diego Souza levantou na área, Rithely cabeceou firme para excelente defesa de Vladimir.

Com o Sport pressionando, foi o Santos que passou a ter boas chances no contra-ataque. Na melhor oportunidade, Robinho deu bom passe para Lucas Lima pela esquerda do ataque. O meia tocou para Gabriel, mas o atacante chegou atrasado e não conseguiu concluir.

Diego Souza cadenciava muito bem o Sport, que quase empatou aos 42. O meia foi à linha de fundo e cruzou rasteiro, forte. Mike bateu fraquinho e a o goleiro Vladimir ficou com a bola. Mas o gol de empate dos pernambucanos saiu depois dos 47. Diego Souza, mais uma vez, iniciou a jogada com muita calma e categoria, a bola sobrou para Neto, que estava cercado e tocou para Samuel Xavier, que bateu cruzado. Vladimir ainda tocou na bola, mas já era tarde. Resultado justo para uma ótima partida na manhã de domingo.

FICHA TÉCNICA:

SANTOS 2 X 2 SPORT

SANTOS - Vladimir; Daniel Guedes (Daniel Guedes), David Braz, Werley e Victor Ferraz; Lucas Otávio, Renato e Lucas Lima; Geuvânio (Gabriel), Ricardo Oliveira (Rafael Longuine) e Robinho. Técnico - Serginho Chulapa.

SPORT - Danilo Fernandes; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Durval e Renê; Rithely, Wendel, Neto Moura, Régis (Diego Souza) e Maikon Leite (Élber); Joelinton (Mike). Técnico - Eduardo Baptista.

GOLS - Robinho, aos 43 minutos do primeiro tempo; Joelinton, aos 6, Werley, aos 24, e Samuel Xavier, aos 47 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Marcos André Gomes da Penha (ES).

CARTÕES AMARELOS - Wendel, Neto (Sport) e David Braz (Santos).

RENDA - R$ 321.055,00.

PÚBLICO - 13.481 pagantes.

LOCAL - Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP).

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCSportBrasileirãofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.