Marcos de Paula/AE
Marcos de Paula/AE

Na estreia de Dorival Júnior, Flamengo fica no 0 a 0 com a Portuguesa

Depois de semanas conturbadas e da demissão de Joel Santana, time carioca ainda não consegue reagir

LEONARDO MAIA, Agência Estado

27 de julho de 2012 | 00h02

RIO - No mínimo algo pode ser dito de Dorival Júnior, ele não se preocupa com estatísticas e críticas. O novo técnico do Flamengo poderia se preservar e assistir ao jogo desta quinta-feira, contra a Portuguesa, das tribunas do Engenhão. Preferiu comandar a equipe do banco, mesmo sem ter realizado nenhum treino com a nova equipe. Não pôde fazer muito além de observar o time montando pelo auxiliar Jaime de Almeida apenas empatar sem gols com a Lusa, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Dorival assume o Flamengo na 10ª posição da tabela, com 16 pontos, 15 atrás do líder Atlético-MG. O time somou apenas um ponto nas últimas três rodadas. A Portuguesa chegou a 10 pontos e completou seis rodadas sem saber o que é vencer e continua na zona de rebaixamento, na 17ª colocação.

"Todo mundo aqui tem vergonha na cara. A torcida tem todo o direito de protestar", comentou um aborrecido Vagner Love, que completou sete jogos sem balançar as redes. "É claro que fico chateado de não fazer gols. Hoje tive chances e não fiz".

"Nós nunca mais vamos enfrentar um Flamengo tão debilitado", comentou o técnico Geninho, da Lusa. "Criamos mais chances. Com o Dorival, o Flamengo vai se ajeitar e vai ser difícil vencê-los aqui. Não podemos desperdiçar essas chances".

O JOGO - Com as duas equipes precisando da vitória, o jogo foi franco na primeira etapa. As alterações de Almeida, testadas após a demissão de Joel Santana, até surtiram efeito na fase inicial.

Os jovens Luiz Antônio, Mattheus e Adryan davam muito mais velocidade ao meio-campo carioca. Mattheus e Adryan trabalharam bem aos 22, em jogada que terminou em finalização de Magal, com defesa de Dida.

A resposta da Portuguesa veio rapidamente. Ricardo Jesus completou o cruzamento de Luís Ricardo. Paulo Victor tocou com as pontas dos dedos e a bola tocou na trave. No lance seguinte, novamente Ricardo Jesus, para grande defesa do goleiro rubro-negro.

"Fomos muito abaixo. Temos muito o que melhorar. Falta compactação, o Airton está com uma área muito grande para cobrir", analisou Dorival, na saída para o intervalo.

De imediato, ele sacou Ibson e colocou Renato com a intenção de reforçar a marcação. De fato, o time ficou mais forte na defesa. Mais tarde tirou Mattheus para a entrada de outro garoto, Thomás, e Adryan deu vez a Bottinelli.

As alterações reduziram a força ofensiva rubro-negra. Com menos espaços para contra-atacar, os paulistas também não criaram chances claras. Nos chutes de média distância, pararam em Paulo Victor. Com isso, o segundo tempo foi menos empolgante que o primeiro e as redes passaram incólumes.

Na próxima rodada, o Flamengo visitará o São Paulo, domingo, no Morumbi. A Portuguesa vai receber o Náutico, no Canindé.

FLAMENGO 0 x 0 PORTUGUESA

FLAMENGO - Paulo Victor; Leonardo Moura, Welinton, González e Ramon; Airton, Luiz Antônio, Ibson (Renato) e Mattheus (Thomás); Adryan (Bottinelli) e Vagner Love. Técnico: Dorival Júnior.

PORTUGUESA - Dida; Rogério, Gustavo e Valdomiro; Luis Ricardo, Ferdinando, Leo Silva, Moisés e Marcelo Cordeiro; Hevérton (Henrique) e Ricardo Jesus (Diego Viana). Técnico: Geninho.

CARTÃO AMARELO - Valdomiro.

ÁRBITRO - Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG).

RENDA e PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoFlamengoPortuguesa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.