Sergio Moraes / Reuters
Sergio Moraes / Reuters

Na estreia de Fernando Diniz, Volpi garante empate do São Paulo contra o Flamengo

Goleiro tricolor foi o principal nome da equipe paulista, que pouco criou no ataque

Renan Fernandes, O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2019 | 20h59

O São Paulo contou com uma noite inspirada de Tiago Volpi para segurar a pressão do líder Flamengo e garantir o 0 a 0 no Maracanã, em partida da 22ª rodada do Brasileiro, que marcou a estreia do técnico Fernando Diniz. O resultado foi comemorado pela equipe do Morumbi depois de uma semana conturbada, marcada pela derrota em casa para o Goiás e pelo pedido de demissão de Cuca. Com o empate, o time tricolor chega aos 36 pontos e sobe provisoriamente para a quinta posição. Já o time carioca tem sua sequência de oito vitórias interrompida e pode ver os rivais diretos encostarem no complemento da rodada.

Em suas primeiras palavras como novo técnico do São Paulo, Fernando Diniz prometeu que vai implantar aos poucos seu estilo de jogo, que ficou caracterizado em outros clubes pela posse de bola e troca constante de passes desde o sistema defensivo. 

Com apenas um treino feito desde sua efetivação no cargo, na noite da última quinta-feira, o treinador fez mandou para campo uma escalação com três mudanças em relação ao time que perdeu para o Goiás no Morumbi. Toró e Everton, lesionados, deram lugar para Hernanes e Antony. O único que perdeu posição efetivamente foi Igor Vinicius, substituído por Juanfran.

"A parte tática treinamos alguma coisa ontem, muito pouco. Mas é ter coragem, todo amor pelo São Paulo, para termos chances de vencer o jogo", disse Diniz antes do apito inicial. Mas quando a bola rolou, a história foi outra.

O São Paulo começou a partida muito assustado. Tirando uma finalização de Pablo no primeiro lance do jogo e uma boa troca de passes que resultou em um gol anulado de Daniel Alves, aos 26 minutos, o primeiro tempo foi todo do Flamengo, que não contou com força máxima.

Pensando da semifinal contra o Grêmio no meio da semana, Jorge Jesus decidiu poupar três jogadores. Rodinei e Renê foram titulares nas laterais nos lugares dos veteranos Rafinha e Filipe Luís. Responsável pela dinâmica do meio de campo rubro-negro, Gerson deu lugar para o paraguaio Piris da Motta.

Se teve precauções em outros setores, o badalado treinador português veio com força máxima no ataque, o mais eficiente do Brasileirão, graças ao bom momento de Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol. 

Com muita movimentação, o trio levou a defesa paulista ao seu limite. Quem também teve oportunidades foi Willian Arão. Aparecendo como frequência na área, o volante quase marcou duas vezes. Na primeira, Bruno Alves tirou em cima da linha. Na outra, Tiago Volpi fez boa defesa e caiu sobre a linha com a bola. O lance chegou a ser checado pelo VAR após reclamações de que a bola teria entrado.

Apesar da superioridade, Jorge Jesus mostrou que não estava satisfeito. Na volta do intervalo, ele sacou Rodinei e Piris da Motta, que pouco fizeram, e colocou Rafinha e Gerson. As mudanças deixaram o líder do Brasileirão ainda mais forte. 

Nos vinte primeiros minutos da segunda etapa, Volpi fez outras três boas defesas. Primeiro em chute cruzado de Bruno Henrique e depois em jogadas em velocidade de Rafinha e Gerson. Acuado, o time paulista conseguiu assustar apenas uma vez. Em rápido contra-ataque, Antony passou pelo espanhol Marí e finalizou forte. Diego Alves mostrou reflexo e espalmou para escanteio. 

Se ofensivamente o São Paulo pouco produziu, a equipe conseguiu quebrar a sequência de três jogos seguidos tomando gol e no fim do jogo comemorou o ponto ganho fora de casa. Agora, Fernando Diniz terá uma semana cheia para trabalhar antes do próximo jogo, com o Fortaleza, no próximo sábado.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 0 x 0 SÃO PAULO

FLAMENGO - Diego Alves; Rodinei (Rafinha), Rodrigo Caio, Marí e Renê (Filipe Luís); Arão, Piris da Motta (Gerson), Everton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabriel. Técnico: Jorge Jesus. 

SÃO PAULO - Tiago Volpi; Juanfran, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Luan, Tchê Tchê (Vitor Bueno), Daniel Alves e Hernanes (Hudson); Antony (Liziero) e Pablo. Técnico: Fernando Diniz. 

ÁRBITRO - Rafael Traci (SC). 

CARTÕES AMARELOS - Rafinha, Everton Ribeiro e Gabriel (Flamengo); Hernanes, Reinaldo, Pablo e Liziero (São Paulo). 

PÚBLICO - 62.541 pagantes. 

RENDA - R$ 3.541.963,25.

LOCAL - Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.