Reprodução/Coritiba Twitter
Reprodução/Coritiba Twitter

Na estreia de Jorginho, Coritiba tem confronto direto com o Sport

Time paranaense ocupa a lanterna da tabela com apenas três pontos somados

Redação, Estadão Conteúdo

30 de agosto de 2020 | 11h25

De ânimo renovado depois de somar os primeiros pontos no Campeonato Brasileiro, o Coritiba aposta na estreia do técnico Jorginho para vencer o confronto direto deste domingo contra o Sport, às 16 horas, no estádio Couto Pereira, pela sexta rodada.

Responsável por levar o time ao acesso na Série B do ano passado, Jorginho foi contratado para o lugar de Eduardo Barroca e encontra o Coritiba na lanterna. Os únicos três pontos vieram no último final de semana, na vitória sobre o Red Bull Bragantino, por 2 a 1, em Bragança Paulista (SP). O time foi comandado interinamente por Mozart, auxiliar técnico fixo do clube.

Jorginho chegou ao clube com o diretor de futebol Paulo Pelaipe, que iniciou uma reformulação no elenco. O volante Renê Júnior foi devolvido ao Corinthians e outros jogadores devem sair. Por outro lado, Hugo Moura pode chegar por empréstimo junto ao Flamengo, além de mais alguns reforços.

Apresentado na última quarta-feira, Jorginho teve o nome publicado no Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) no mesmo dia e por isso está liberado para comandar o time contra o Sport.

Tudo indica que ele vai apostar na manutenção do time que ganhou do Red Bull Bragantino. A principal novidade, além do técnico, deve ser a volta de Giovanni, que ficou afastado por oito meses após romper o tendão de Aquiles. O meia seria opção no banco de reservas.

Aos poucos Jorginho vai procurando dar sua cara ao Coritiba. Mas ele avisa que não vai enfrentar grandes clubes "de peito aberto", pois as chances do time ser derrotado seriam grandes. Ele busca um equilíbrio entre defesa, meio-campo e ataque.

"A gente enfrentar um Flamengo, um Grêmio e um Palmeiras de peito aberto, achando que vai ser uma equipe ofensiva sem ter um equilíbrio entre defesa e ataque, estaríamos fadados a perder os jogos, como aconteceu nas quatro primeiras rodadas. O que eu quero é que minha equipe seja forte no meu setor defensivo, no meio-campo e no ataque", disse o treinador, sonhando com um time equilibrado em seus três setores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.