Giorigio Perottino/Reuters
Giorigio Perottino/Reuters

Na estreia de Kaká, Milan busca empate aos 51

Balotelli marca os dois gols da reação do time milanês

Agência Estado

14 de setembro de 2013 | 17h50

MILÃO - A aguardada volta de Kaká ao Milan não foi da forma que os torcedores rubro-negros esperavam. Mas a equipe também não tem do que reclamar. Neste sábado, o time milanês contou com o brasileiro entre os titulares para encarar o Torino no Estádio Olímpico de Turim, ficou todo o segundo tempo atrás no marcador para buscar o empate em 2 a 2 em gol de pênalti marcado por Balotelli aos 51 minutos do segundo tempo. Como perdeu para o Verona na estreia, fora de casa, e só venceu o Cagliari no San Siro, o Milan tem apenas quatro pontos no Italiano, distante dos seus rivais Inter de Milão e Juventus, que empataram por 1 a 1, mais cedo na rodada, em Milão, e chegaram aos sete pontos. O líder, porém, é o Napoli, com nove.

Contratado de graça junto ao Real Madrid, Kaká estreou como titular do meio-campo milanês, ao lado de Montolivo, mas trocando constantemente de posição com Robinho, enquanto Balotelli jogava mais preso na área. Apesar da boa movimentação, o Milan não conseguiu abrir o placar na primeira etapa. Isso porque a equipe invariavelmente parava na defensiva formação do Torino, que segurava o ataque rubro-negro. O goleiro Padelli sequer teve trabalho antes do intervalo.

Mal o segundo tempo começou e o Torino fez o primeiro. A um minuto, Cerci lançou D'Ambrosio nas costas de Zaccardo, o lateral falhou, e deu espaço para o atacante bater tirando de Abbiati. Insatisfeito com o time, Maximiliano Allegri sacou Robinho e Montolivo e colocou em campo Poli e Matri. Cansado, Kaká saiu aos 25, para dar lugar a Birsa, e viu do banco de reservas Cerci fazer o segundo, já no minuto seguinte.

Para chegar ao empate, o Milan contou com a sorte. Aos 42 minutos, Padelli saiu mal do gol, de soco, ficou caído no chão, e Muntari tentou o chute da entrada da área. Furou na primeira tentativa, bateu caindo na segunda e a bola foi mansa, devagar, para entrar no gol do Tornio. Já aos 47, Poli foi esperto. Driblou Pasquale na área, esperou o choque e se jogou. O zagueiro caiu na dele e cometeu pênalti. Depois de muita confusão, Balotelli bateu aos 51, deslocando o goleiro, e mantendo 100% de aproveitamento na carreira.

LÍDER

A torcida do Napoli, por sua vez, não tem do que reclamar dos seus reforços. Neste sábado, o time sulista venceu o Atalanta por 2 a 0, em casa, e se manteve com 100% de aproveitamento no Italiano. Higuaín e Callejón, dois jogadores que vieram do Real Madrid, fizeram os gols.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.