Na estreia, Mancini tem problemas para escalar Vitória

Meio ano depois de deixar o Vitória para assumir o comando técnico do Santos - acabou sendo dispensado da equipe paulista depois de uma derrota por 6 a 2 justamente para o clube baiano -, o técnico Vágner Mancini volta ao time de Salvador e já enfrenta uma série de problemas para escalar quem jogará contra o Goiás, neste domingo, às 16 horas, no Estádio Serra Doudada, em Goiânia, pela 19.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

TIAGO DÉCIMO, Agencia Estado

16 de agosto de 2009 | 08h51

Veja também:

linkGoiás aposta nas voltas de Vitor e Ramalho ante Vitória

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabela Classificação

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Da equipe que vinha jogando a competição, Mancini tem quatro desfalques: o goleiro Viáfara, que se recupera de uma luxação na mão esquerda, o zagueiro Victor Ramos, convocado pela seleção brasileira sub-20, e os volantes Vanderson, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e Uelliton, suspenso por duas partidas pela expulsão contra o Avaí. Além disso, o técnico não tem tempo para treinar - a equipe jogou na última quinta-feira contra o Coritiba, pela Copa Sul-Americana.

Como boa notícia, só o retorno do lateral-esquerdo Leandro. Ele tinha sentido a coxa momentos antes da partida de quinta, mas foi liberado para enfrentar o Goiás.

Apesar dos problemas, Mancini espera uma boa estreia à frente do Vitória para que a equipe ganhe confiança para voltar a brigar por uma vaga no chamado G-4. O técnico só deve escalar o time momentos antes do jogo e não definiu nem se volta a adotar a formação 3-5-2 que vinha sendo utilizada por seu antecessor, Paulo César Carpegiani, e que havia sido abandonada pelo interino Ricardo Silva na partida contra o Coritiba.

Caso opte por três zagueiros, Fábio Ferreira volta à equipe. Se mantiver o esquema com dois zagueiros, a vaga restante no meio ficará entre o volante Carlos Alberto e o meia Bida - que, no caso, jogaria como segundo volante. De certo, só o retorno de Leandro à lateral e do volante Magal no lugar de Vanderson.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.