Reuters
Reuters

Na estreia, Neymar joga 15 minutos e vê Barça empatar

Brasileiro fica no banco e entra no segundo tempo, quando Messi já havia deixado o gramado

AE, Agência Estado

30 de julho de 2013 | 17h52

SÃO PAULO - A tão esperada estreia de Neymar com a camisa do Barcelona aconteceu nesta terça-feira. Foram apenas 15 minutos, sem grande destaque, é verdade, mas o suficiente para que o torcedor catalão visse pela primeira vez a estrela brasileira defendendo as cores do clube. No fim, o atacante pouco influenciou no empate por 2 a 2 diante do Lechia Gdansk, na Polônia, já que os quatro gols haviam acontecido antes de sua entrada.

A partida desta terça foi apenas uma prévia do que Neymar deverá mostrar na sexta-feira, quando o Barcelona enfrenta o Santos em torneio amistoso, o Troféu Joan Gamper, no Camp Nou. Diante do ex-time, Neymar deverá ser titular e, aí sim, terá a primeira grande chance de mostrar por que o clube espanhol investiu milhões para contratá-lo.

O amistoso desta terça foi o terceiro disputado pelo Barcelona nesta pré-temporada, após a derrota para o Bayern de Munique, por 2 a 0, e a goleada aplicada sobre o Valerenga, por 7 a 0, na Noruega. Em um jogo morno, as atenções estavam todas para o banco de reservas, onde Neymar, visivelmente ansioso, esperava sua chance de entrar. E ela veio aos 30 minutos do segundo tempo, quando o auxiliar Jordi Roura - o técnico recém-contratado Gerardo Martino não ficou no banco - mandou o brasileiro se aquecer. Enquanto se preparava para entrar, Neymar viu Messi deixar o campo e a possibilidade de atuar ao lado do meia argentino pela primeira vez ser adiada.

Aos 33 minutos, o atacante brasileiro entrou na vaga de Alexis Sánchez e não demorou para receber sua primeira falta. Neymar tinha a clara intenção de tirar o peso da estreia das costas e, para isso, não se escondeu. Buscou o jogo, tentou dribles e passes de calcanhar. Como de costume, acabou provocando o adversário com seus toques e sofreu muitas faltas, tendo uma breve amostra de como deverá ser sua nova realidade no futebol europeu. Ele inclusive conseguiu provocar um cartão amarelo para o time adversário, mas não foi muito efetivo em campo.

O Barcelona pouco encantou e, ainda sem os jogadores que disputaram a Copa das Confederações - o único relacionado foi Neymar -, esteve atrás no placar em duas oportunidades antes de conseguir deixar o campo pelo menos com um empate. Logo aos 14 minutos, o Lechia Gdansk abriu o marcador com Bieniuk, que escorou com força um escanteio cobrado da direita. O empate saiu aos 24 minutos, quando Montoya foi à linha de fundo e tocou para Sergi, sozinho, marcar. O próprio Montoya falharia no segundo gol polonês, no início do segundo tempo, ao tentar dominar e entregar a bola para Grzelczak, que avançou pelo lado esquerdo e, mesmo sem ângulo, encheu o pé para marcar o segundo.

Messi estava em campo, mas, aparentemente sem ritmo, pouco havia aparecido até então: somente com um chute cruzado, aos 18 do primeiro tempo, e em uma cobrança de falta, aos sete do segundo tempo. Mas aos 11 minutos ele deixaria tudo igual. Após bela triangulação, Alexis deu bom toque para o argentino, que, diante do goleiro, tocou por cobertura e marcou um belo gol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.