Na Europa, times emprestam equipamentos a garotos da base e fazem reforço escolar

Planejamento minucioso tenta minimizar os efeitos negativos da paralisação causada pela pandemia

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2020 | 07h00

A paralisação das atividades das categorias de base pela pandemia do novo coronavírus obrigou os times europeus a adotarem medidas criativas para compensar o afastamento. Empréstimo de equipamentos de musculação, aulas online da escola e acompanhamento psicológico estão entre as soluções pensadas enquanto os garotos também foram dispensados da rotina no centro de treinamento e permanecem em casa.

O Tottenham continua de olho nos treinos graças ao aparelho de GPS utilizados pelos jovens jogadores. A tecnologia permite saber se todos têm cumprido o cronograma de atividades e qual foi a frequência cardíaca durante os trabalhos físicos. Todos os atletas recebem às 9h da manhã via WhatsApp o cronograma de trabalhos em casa e precisam realizar as tarefas até 11h.

"A nossa equipe de ciências do esporte oferece uma sessão de ginástica diferente todos os dias e depois eles têm uma tarefa à tarde - que às vezes é baseada no futebol, outras sem futebol, mas todas ações sempre possíveis de serem realizadas em suas casas ou em seus jardins", explicou o treinador do sub-18 do Tottenham, Matt Taylor.

O clube londrino tem feito até o empréstimo de alguns aparelhos para os jogadores. "O Tottenham também fornece alguns equipamentos de ginástica para alguns jogadores, quando apropriado. Obviamente, os jogadores não estão treinando com a intensidade que estariam se estivessem no grupo, mas, como clube, estamos trabalhando duro", disse o treinador.

O Monaco, time que revelou Kylian Mbappé, a preocupação tem sido com a parte psicológica dos jogadores. Reuniões semanais por videoconferência têm servido para discutir o andamento dos trabalhos e a preparação com reforço escolar aos garotos para as provas finais da escola. Na Europa o ano escolar termina no meio do ano e muitos precisam tirar boas notas para passarem de ano.

"Desde o início do confinamento e por meio de nosso gerente de ensino, foi criada uma organização de cursos on-line com os professores para continuar os programas escolares uns dos outros, a fim de estarem prontos para os exames finais", disse o coordenador das categorias de base do clube, Bertand Reuzeau.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.