Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Em Paris, Neymar é vacinado contra a covid-19: 'Chegou a minha vez. Que felicidade'

'Espero que tudo volte ao normal o mais rápido possível e que não só o meu país Brasil, mas o mundo inteiro possa estar vacinado', escreveu o atacante

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2021 | 11h38

Principal jogador brasileiro na atualidade, Neymar recebeu a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus nesta quinta-feira, em Paris, na França. O astro da seleção brasileira e do Paris Saint-Germain publicou o momento em suas redes sociais. "Depois de tanta espera, chegou a minha vez. Que felicidade...", escreveu Neymar. "Espero que tudo volte ao normal o mais rápido possível e que não só o meu país BRASIL,mas o mundo inteiro possa estar vacinado", completou o atacante.

Neymar não esteve em campo contra o Monaco, na final da Copa do França realizada nesta quarta-feira, em que o PSG se sagrou campeão ao vencer o adversário por 2 a 0, fora de casa. Ele estava suspenso por receber mais um cartão amarelo contra o Montpellier. O próprio brasileiro alegou "perseguição" da arbitragem na ocasião. A equipe entrou com recurso, mas comitê da Federação Francesa de Futebol negou o efeito suspensivo.

Apesar de não poder atuar, o time de Paris conquistou seu 14º título da Copa da França (o sexto nas últimas sete edições), com brilho do francês Kylian Mbappé. Neymar comemorou com seus colegas e levou uma camiseta em homenagem ao cantor MC Kevin, que morreu no último domingo após cair do 5º andar de um prédio no Rio. Ele tinha planos de conhecer pessoalmente o artista.

O Paris Saint-Germain agora volta suas atenções para o Campeonato Francês, onde ainda existem chances para mais uma taça. O time ocupa a 2ª colocação na tabela, atrás apenas um ponto do Lille, que lidera com 80 pontos. Resta apenas uma rodada para o fim do torneio e todos os compromissos serão realizados no próximo domingo, 23.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.